segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal!

Quero desejar um feliz Natal à você, querido(a) leitor(a)! Que o espírito natalino não se mantenha apenas hoje e amanhã, mas durante 2013!

Espero que o bom velhinho traga muitas coisas boas em sua vida, em especial muita saúde e coragem para que você consiga conquistar todos os objetivos - por mais difíceis que sejam - no próximo ano!!

domingo, 23 de dezembro de 2012

E o Mundo continua...!!

E o tal fim do Mundo que não aconteceu? Supreendentemente, mais gente do que imaginamos, estava realmente acreditando, a maioria ficou com vergonha de assumir.

Muitos se refugiaram em locais que, na mente delas ou após uma lavagem cerebral, acreditavam que o Mundo de fato acabaria - menos ali em casas indestrutíveis. Estocaram alimentos, gastaram o que não podiam em busca da sobrevivência. Perderam tempo e dinheiro.

Se eu acreditasse neste fim, não faria nada para tentar ser uma das sobreviventes, muito pelo contrário... Gostaria de ir embora com todos!

Que triste seria estar protegida em um local, sabendo que não encontraria mais nada do lado de fora da toca.

Na sexta, enquanto muitos estavam preocupados com o que aconteceria, eu acordei e passei o dia todo com a sensação de que um novo ciclo começou, quem sabe um novo Mundo.

Adeus, Mundo! No caso, Mundo velho!


terça-feira, 18 de dezembro de 2012

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Sei que estou super em falta por aqui e nas redes sociais. Sei também que nada justifica minha ausência, mas não se preocupe, pois estou muito bem, obrigada!

Daqui a exatamente dez dias, eu e a Fê estaremos de férias! o/  Hoje mesmo já colocamos o aviso de recesso no site do filhote e retornaremos às atividades no dia 07 de janeiro. Serão poucos dias de descanso e ainda pela metade, pois nosso ócio pre-ci-sa-rá ser criativo, mas nosso escritório nestes dias será na beira da piscina com a colaboração de São Pedro.

Esta semana além de muito trabalho pela frente, será intensa por conta da vida social. É semana para se encontrar pela última vez neste ano com os amigos que viajarão antes do Natal. Participarei de dois amigos secretos e precisarei terminar de comprar os presentes para as pessoas queridas. Comecei no domingo, mas me deu os cinco minutos no shopping que estava lotado e deixei para outro dia.

Ontem meu time me matou de orgulho! >3  Valeu a pena ter acordado tão cedo para assistir o jogo, mas assim que acabou e comemoramos, dormimos mais. Chegamos em casa às 4h30 então além de termos dormido bem pouco, precisava colocar o sono em dia.

Enfim, desejo uma ótima penúltima semana do ano!
 

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Aline

Quando ela ainda estava como medo de mim...
No sábado retrasado, 01, estava na casa de minha sogra quando começamos a ouvir um miado escandaloso no jardim que fica na frente da casa. Pensei que fosse de um gato já conhecido na rua que vive solto e volta para a casa do dono quando a fome bate ou quando quer carinho. Sempre brinco com ele quando o encontro, então saí para encontrá-lo e me deparei com esta gatinha, pequenina e frágil.

Se assustou com a minha presença. Miava muito como se estivesse chamando pela mãe. Por impulso, fui atrás para pegá-la, mas rapidamente fugiu de mim.

Notei que o olhar dela não demonstrava apenas medo, mas curiosidade. Decidi conquistá-la. Determinada, tive paciência de ficar por mais de uma hora para conquistar a confiança dela.

Sentei no chão e fiquei batendo altos papos com ela. Quem visse, juraria que eu era louca. Até miei um pouquinho... Uma tentativa fracassada de "falarmos" a mesma língua.

Ela ficou um tempão sentadinha olhando para mim, aproveitei e tirei várias fotos dela, como esta que está no canto acima.

Entrei na casa para buscar um pouco de leite e quando retornei, não a encontrei, pensei até que tivesse fugido. Ainda assim, resolvi esperar um pouco, sentei em outro lugar, peguei o celular para fazer uma ligação e quando menos esperei, ela saiu do meio das plantas, foi em minha direção e sentou bem na minha frente. Daí tirei fotos como esta:

   
Por espontânea vontade, ela se aproximou de mim. Me cheirou e comecei a agradá-la, em pouco tempo já estava em meu colo. Entrei na casa com ela, como o João já sabia sobre minha vontade de ter outro gato, aceitou numa boa o fato de levá-la conosco.

Nisso, decidi publicar duas fotos dela no meu perfil pessoal do Facebook e contei como tinha a encontrado. Um dos comentários foi do Humberto, namorado de um amigo. Ele perguntou se eu não poderia doá-la à ele, já que a gatinha que tinha, faleceu há poucos meses atrás. Pensei um pouco e resolvi então levá-la. Ele queria outra gata, ela precisava de um lar e amor. Matei dois coelhos com uma cajadada só.

Da casa de minha sogra, fomos direto para a cada dele, pois se ficasse mais um pouco com ela, desistiria de entregá-la. Logo ganhou um nome dele: Mona.

Fiquei com o coração apertado em nossa despedida, mas sabia que estaria em boas mãos e poderia vê-la esporadicamente.

Na segunda à tarde, Humberto me ligou desesperado. Mona passou o final de semana miando muito e o vizinho reclamou do barulho ao síndico que, mandou um comunicado dizendo que ele teria 48 horas para resolver a situação. Ou seja, apenas dois dias para tirar a gata de lá. Até mesmo por que, no prédio, é proibido ter animais. Humberto que foi morar lá no mês passado, não sabia deste pequeno detalhe.

 Eu disse que ficaria com ela, então na segunda à noite fui buscá-la.

Já no carro, Mona tornou-se Aline, que é o nome da gata que tive na adolescência e que ficou com os meus pais. Elas são bem parecidas, malhadas com três cores, se perderam ou foram abandonadas pela mãe ainda muito pequenas e são extremamente dóceis.

Fiquei preocupada com a adaptação em casa. Minha preocupação não era nem com a Tati, pois ela não pode ver um gato na rua que já começa a abanar o toco do rabo. Fiquei preocupada com a Duda, pois numa noite a levei para conhecer o Johnny ( o persa da Fê ) e ficou o tempo todo baforando pro ex-futuro namorado.

E não foi diferente do que imaginei. A Tati logo de cara amou a nova irmã felina, já a Duda baforou demais e ameaçou ir para cima por várias vezes. Formou-se um triângulo nada amoroso: a Duda baforava para a Aline que baforava para a Tati.

A adaptação foi mais rápida do que pensei, demorou apenas quatro dias. A Duda ainda não morre de amores pela Aline, mas parou de baforar e já estão se aproximando mais, uma cheira a outra com curiosidade, acredito que daqui a alguns dias já estarão brincando. Comem uma ao lado da outra, cada uma em seu pratinho, dividem a mesma bandeja de areia para as necessidades e dormem próximas.

Levei a Aline à veterinária na terça retrasada, fiquei sabendo que tem no máximo um mês e meio de vida. Estava desidratada, com vermes e pulguenta. Coisas normais para um bicho que estava na rua. Já dei toda a medicação necessária e está bem, se sentindo em casa.

Dizem que não somos nós que escolhemos nossos bichos de estimação, mas são eles que nos escolhem. Acredito muito nisso.

Olho para a Aline e me lembro do quanto foi difícil conquistá-la, mas agora está aqui dormindo em meu colo.

Para mim, também é uma maneira de matar saudade da outra Aline...
    

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Show da Madonna

Terça-feira quente. Saímos de casa às 16h30 para um show que começaria às 20hs, tamanho o medo de encarar fila gigante para entrarmos no estádio. João recebeu um e-mail sobre uma parceria da Tickets for Fun com o WTC: as pessoas que iriam ao show poderiam deixar o carro estacionado no WTC por R$ 30 e mais R$ 35 por pessoa, dava direito ao translado de ida e volta do estádio. Adoramos isto, pois quem já foi a um show lá, sabe o quanto é difícil encontrar uma vaga na rua ou então conseguir um táxi na hora de ir embora.

Chegando no WTC, tomamos um espresso tranquilamente e fomos para a fila da van para o translado. Pegamos um trânsito gigante, levamos mais de uma hora até o estádio do Morumbi. Eram 19hs e pouco quando enfim chegamos. Sem sinal de filas. Entramos direto. Ufa!!

Estava no quiosque da Budweiser pra comprar cerveja quando ouvi alguém me chamar. Olhei e era o Miro, DJ e produtor que conheci na festa da Gabiarra. Coincidamente, compramos ingressos para o mesmo setor. Se tivéssemos combinado, não teria dado tão certo!

Fomos sentar e ficamos papeando, bebendo e comendo as guloseimas dos ambulantes que passavam por nós. O preço de qualquer coisa é um absurdo. João comeu um hot dog simples que custou R$ 10 e comi um pacote de batata-frita pelo mesmo valor. Quase de graça. Só que não.

As luzes finalmente apagaram às 20h30. Expectativa no ar. Todos olhando em direção ao palco e... Cadê Madonna? Quem entrou foi o DJ e produtor musical Gui Boratto que é mega conhecido neste meio, mas não conseguiu empolgar nem cativar o imenso público. Foi vaiado por várias vezes, inúmeras pessoas pediam para que ele fosse embora. O côro em tom negativo estava forte.

Se isto acontece comigo, saio do palco, vou embora e nunca mais saio de casa. Mas, Boratto foi corajoso e mesmo ouvindo as vaias, fingiu ignorá-las e permaneceu. Tocou por uma hora e meia. Quando foi embora, o povo agradeceu.

Silêncio. Expectativa gigantesca. Acenderam as luzes no palco e Madonna, finalmente surgiu às 22h30... Emoção e frio na barriga, me arrepiei quando a vi. E compensou o fato de termos esperado por este momento por duas horas e meia.

Madonna é insubstituível. Que presença de palco! Que show lindo! Figurino, luz, vídeos e qualidade de som incríveis. É diva e ninguém pode negar.

Ela interagiu com o público em inglês em alguns momentos, mas disse "caralhoooo" em bom português. O povo foi ao delírio.

Cantou várias músicas novas, não conhecia algumas destas, ainda assim gostei muito. Das antigas, adorei quando cantou Vogue e me acabei com Like a prayer. >3

Pena que não cantou Like a virgin... Esperei tanto, até achei que fecharia o show com esta música. Ledo engano.

Vê-la ao vivo no palco não tem preço. Hmmm, ok, tem sim e foi bem caro, mas valeu cada centavo dos ingressos!

Algo me diz que foi a última turnê no Brasil, mas se voltar, estarei lá novamente!

Show sensacional e inesquecível!!        

PS: Para ilustrar este post, coloquei a melhorzinha foto que tirei. Estava tão afoita que tirei pouquíssimas fotos, apenas quatro no total. Queria ter tirado mais, mas no meio do entusiamo, acabei não me importando tanto com estes pequenos registros. 

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Sinal de vida

Gente, sei que estou em falta por aqui, mas tô encarando mais uma maratona, graças à Deus!

Preciso contar do show da Madonna que fui ontem e do filhote de gata que encontrei na rua e resolvi adotar, ela é minúscula. A veterinária disse que tem um mês e meio no máximo...

Tinha planejado de escrever agora no fim da tarde, mas tenho um evento para ir e o João acabou de me ligar pra dizer que quer sair de casa no máximo às 19h30... Ai ai ai. Não conseguiria contar nem sobre o show, nem da gata em tão pouco tempo. ¬¬

É bem provável que eu não consiga escrever quando voltarmos da festa, então conto amanhã!

De qualquer maneira, passei para dizer que estou bem!! ;)

Até.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Bom dia!!

Daqui a pouco vou à praia! o/ Tudo bem que será um bate-volta, apenas para uma gravação de tv e retornarei no final da tarde, masss só o fato de saber que pisarei na areia e entrarei no mar depois de tanto tempo...!

Esta semana foi phoda - no melhor sentido que esta palavra possa significar. Gratidão enorme pelos responsáveis por todos os últimos acontecimentos!!

Muitas vezes, precisamos tomar uma decisão difícil, mas é gratificante e dá uma baita sensação de orgulho quando enfim percebemos que aquilo que decidimos era o mais correto. Mais do que coisa certa, mas no momento certo!

Seguir a intuição é o que há. Mesmo que muitas pessoas nos considerem como doidas, mesmo quando há quem diga algo do tipo: "Ah, mas isto não tem como dar certo, você só perderá tempo!".

Por mais louca que seja uma ideia sua, persista. Se você acredita que vai colher bons frutos, não fique desanimado(a) com opiniões contrárias às suas. Nem sempre uma opinião em tom negativo é dita por alguém com más intenções... A pessoa que opinou mesmo que tenha te desanimado num primeiro momento, talvez goste tanto de você que queira te proteger de uma decepção, no ponto de vista dela.

Mas no fim, é tão bom acreditar em nossa intuição, realizar e mostrar que não estávamos tão loucos assim.

Não tenha medo de tentar... Ainda mais por que pode ter alguém com a mesma ideia que a tua, mas teve a coragem que faltou em você, fez acontecer e colherá os frutos que poderiam ter sido teus!

***

No mais, no último sábado, estive novamente em Joinville, após duas ( ou três? ) semanas. Contarei mais tarde lá no blog da criatura...

***

Tudo bem que a sexta mal começou, mas encerro esta semana com a sensação de missão cumprida. Poderei me dar ao luxo de descansar tranquilamente neste finde. Espero poder contar com a boa vontade de São Pedro e ficar na piscina esparramada que nem lagartixa.

***

Boa sexta e bom finde pra você! Até.

   

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Até que enfim este feriado prolongado terminou, quase uma semana...Tudo que é demais, cansa! Inclusive as boas coisas da vida.
Não sabia que na terça foi feriado apenas em São Paulo e no Rio de Janeiro, jurava que a Consciência Negra fosse nacional.

Estes dias renderam, consegui cumprir com as obrigações e cuidar dos filhotes, mas também consegui tomar meu sol sagrado e me divertir um bocado. Fora as gulodices diárias e sem culpa. Começou na quarta à noite, quando fomos jantar com dois casais de amigos no La Sorella, especializado em pizza frita. Depois, fomos comer a sobremesa na Ofner, onde eu não ia há séculos. Moro bem próxima de uma, mas nunca achei tudo isso, há docerias bem melhores que valem mais a pena.

No domingo, fui com o João comer pastel na feira, algo que eu também não comia há muito tempo. Não sei se o óleo usado é velho e sujo, só sei que pastel de feira é imbatível. Comi dois de queijo e depois voltei para a piscina, onde estava desde cedo.

Na segunda-feira, acordamos cedo, o João foi para a casa da mãe e eu para a piscina. Quando eram quase 13hs, eles vieram me buscar e fomos almoçar em uma lanchonete perto de casa. Foi um show de horror. Pra começar, os nomes nas placas... Quando vi a primeira: "maracunjá", pensei que a pessoa tivesse se enganado e na pressa, colocou um N onde não tem. Depois o João me mostrou a placa com o filé "mion", em seguida nos deparamos com o peixe "melusa".



Quer dizer, a pessoa acordou decidida em fazer uma orgia com as letras: enfia um N ali, tira um R dali, faz um troca-troca do Z com o S, come bem gostoso duas letras do mion. Uma beleza!

Masss o melhor mesmo foi o "alcapá". Se alcaparras - aquelas bolinhas verdes enrugadas - já são ruins, imagine as alcapás:



E o show não parou... Na primeira garfada, pensei que estivesse comendo pequenas pedrinhas. O arroz estava totalmente cru. Minha sogra também não conseguiu comer. Meus brócolis estavam congelados, com direito a pequenas pedrinhas de gelo. O que salvou foi a tal da ´melusa´, mas rejeitei todas as ´alcapás´.

Fomos embora decepcionados e com fome.

O plano seria que eu voltaria para a piscina e eles voltariam para a casa da minha sogra após o almoço, mas ela comentou que estava com vontade de tomar sorvete, então decidimos levá-la para conhecer a Bacio di latte. A fila estava gigante, mas na hora de comprar ( lá paga antes de fazer o pedido ), o atendente disse que ela tinha preferência na fila por conta da idade, daí como estávamos a acompanhando, tivemos também. :)  Só o fato de não ter precisado encarar outra fila, que estava maior ainda, foi bom demais.

Pra variar, pedi o mesmo de sempre, vou com a intenção de experimentar novos sabores, mas não consigo! Peço o bacio di latte ( que é gelato de leite ), café e doce de leite. Foi a quarta vez que pedi igual, mas na próxima vez, a tentativa de mudar, continuará...

Enquanto estávamos devorando nossos potes com gelato, sentimos os primeiros pingos de chuva e, em questão de segundos, caiu o maior toró. O retorno na piscina já era. Ficamos quase meia hora esperando amenizar um pouco. Eles me deixaram em casa e voltaram para a da minha sogra.

Tinha combinado de tomar café com a Fê porque desde quarta não nos víamos, pois ela foi passar o feriado em Vitória e voltou na segunda à noite, precisava passar o relatório à ela, mas antes resolvi cochilar um pouco, tomei banho e me entreguei ao sofá, fiquei zapeando e quando o sono estava quase batendo, o tempo abriu novamente e surpreendentemente o sol voltou.

Resolvi passear um pouco com a Tati, pois não tinha feito o passeio matinal e ela estava desesperada, me olhando com uma cara de "E aí, meu?". Depois de deixá-la em casa, fui para a piscina, não mais para tomar sol, mas para papear com a Elaine e a Fê, ficamos até quase 20hs, daí a Fê veio em casa para conversarmos sobre o filhote, o João chegou e trouxe vários quadradinhos de bolo de limão que a mãe dele fez e mandou para mim. O mimo caiu como uma luva para acompanhar os cafés.
Depois fomos para a casa da Elaine onde ficamos até quase 1h, bebendo vinho e tricotando ainda mais, encerrando então o nosso feriado que parecia não ter mais fim...

Semana curta e bem intensa, tanto para mim como para a criatura.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Novo site da criatura!

Finalmente o novo site da criatura está no ar, obaaaa! Demorou, mas saiu! o/

Foi um longo trabalho que durou alguns bons meses, mas assumo que tenho uma ponta enorme de culpa por conta deste atraso.

Num primeiro momento, planejei um site bem parecido com o finado NNP, algo como um portal da criatura. Pois bem, estava quase ficando pronto e desisti desta ideia, pois tive medo de me comprometer com algo que eu sabia que não daria conta. Me sugeriram montar um equipe de colaboradores para ficarem responsáveis pelo conteúdo, mas sei bem como isto funciona e não tenho a menor paciência de ficar dependendo da boa vontade de outros. Engavetei.

Recomeçamos do zero. Não aprovei o segundo formato que me entregaram, nada me agradou: as cores, o layout, nada. Continuava complexo demais e eu queria um site beeem simples. Não foi fácil convencer todos os envolvidos que eu queria algo básico.

O terceiro site foi entregue, ficou mais próximo do que gostaria, ainda assim, solicitei algumas mudanças. Até que finalmente, após excluírem vários detalhes, ficou do jeito que queria.

Ficou pronto justamente na fase de encarar os lutos, então não estava com cabeça para ficar me preocupando com o site, aliás, com nada que envolvesse a criatura.

Enfim, fase difícil superada... Em outubro, reuni novamente o povo envolvido e retomamos até concluirmos.

Sem mais delongas, conheça o novo cantinho da criatura:

www.brunasurfistinhaoficial.com.br ou então www.bsurfistinha.com.br ( estes dois domínios entram no mesmo site, mas o segundo por ser menor, ficou melhor no cartão de visita...! )

Até.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Bom dia!

No fim, não fiquei gripada, mas com resfriado. Antes que alguém pergunte, já estou bem novamente! Foi passageiro, durou apenas no finde, mas não foi o suficiente para estragar meus planos. No sábado, só para variar, fui comer feijoada com a turma e ficamos no bar até o início da noite, e no domingo passei parte da manhã e a tarde na piscina, ainda bem que aproveitei porque ficaria frustrada com a mudança do clima já na segunda-feira.

Tudo bem que ainda não estamos no verão, mas né, teoricamente o inverno já terminou. Não quero nem pensar na possibilidade do sol não dar o ar da graça neste feriadão. Tô com esperança de dias ensolarados... Mesmo com o fato de ter ´n´ coisas para fazer e resolver nestes dias, prefiro mil vezes ter de trabalhar e não poder curtir o sol, mas saber que ele está ali disponível.

Preciso dar satisfação sobre o site da criatura, pois comentei no último post que estaria no ar nesta segunda... Resolvemos migrá-lo para um servidor mais potente, para evitarmos algum tipo de dor de cabeça, o prazo que a empresa que está cuidando disso para mim me passou, é que até amanhã estará ok, mas não faz sentido divulgá-lo no início de um feriado gigante. Ou faz?

Ontem concedi duas entrevistas: uma para o jornal Diário de S.Paulo e outra para o jornal Tribuna de Vitória. Ambos para comentar sobre a novidade que acabou de sair do forno: o quarto livro! E em uma versão diferente dos anteriores: em formato de cards, pois é um jogo de sedução.
Na próxima semana, comentarei sobre ele no blog da criatura! ;)

Já tenho outras entrevistas marcadas pós-feriado. Este lançamento acabou coincidindo com o site novo... Enfim, a criatura está voltando com novidades! o/

No mais, ficarei ausente nestes próximos dias, mas na segunda-feira estou de volta por aqui!

Bom feriadão! Com ou sem sol.

Até.
,   

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Bom dia!

Hoje já é sexta-feira, que delícia! Pena que acordei com a sensação que ficarei gripada. Ontem à noite, acabei abusando, agitei um happy hour para comemorar um acontecimento especial e, como a maioria era fumante, então resolvemos ficar sentados em uma mesa na área aberta, a céu aberto. Ficamos tomando a friagem da noite e eu não estava muito bem agasalhada. Ninguém merece estas mudanças repentinas de clima.

Espero que a sensação seja apenas um alarme falso, mas se não for... Nunca pensei que diria isto, mas serei uma gripada feliz! Só quem estava presente ontem na comemoração, entenderá...

Nesta semana, foquei no filhote com a Fê. Conseguimos fazer tudo o que queríamos, já pensando na ação do Natal. Dentre outras coisas, criamos uma página para ele no Facebook e um perfil no Twitter. Ficarei responsável no dia-a-dia com o conteúdo nas mídias sociais, ou seja,  mais cantinhos virtuais para cuidar!

Hoje é dia de finalizar os últimos detalhes e reunião com um de nossos fornecedores, espero que ele tope a nossa proposta. Também é dia de ir ao Centro para cuidar do espírito, já que na sexta passada não fomos por ter sido feriado.

No mais, na terça-feira, recebi da editora os exemplares da novidade que saiu do forno, lançaremos em muito breve! O site novo da criatura também está pronto, colocaremos no ar na segunda-feira.

Outra boa notícia da semana é que recebi e-mail de uma leitora que se tornou minha amiga. Uma fez companhia para outra virtualmente durante alguns anos. Bem no início do meu blog, em 2004, ela deixou um comentário em um dos posts e então começamos a manter contato por telefone e MSN. Na época, ela morava em Santos. Embora nunca tenha sido garota de programa, na época descobrimos ter muitas coisas em comum. Era muito louco, pois nunca nos vimos, apenas por fotos e webcam, ainda assim o nosso sentimento sempre foi extremamente fraternal, como se nos conhecessemos há anos. Quem acompanha a minha vida de blogueira desde o início, talvez se lembre, pois sempre comentava dela.
A confiança é tão grande que sempre trocamos muitas confidências. Enfim, não sei explicar o motivo, mas perdemos contato. Trocamos um e-mail no ano retrasado e perdemos contato novamente, mas nunca me esqueci dela. É uma das pessoas por quem tenho uma gratidão imensa.
Um dia ainda vamos nos conhecer pessoalmente, tenho certeza.
Fiquei feliz quando me deparei com o e-mail dela, mais feliz ainda ao saber que conseguiu realizar o sonho de ser mãe!

E assim, encerro este post, com um beijo especial à você, Paulinha! ;)

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Curitiba & Joinville

No sábado, fomos almoçar na casa do Will e da Carmen, mãe dele. Conhecemos a avó, Dona Iva, uma simpatia de pessoa, aos 80 e poucos anos, é mais ativa que muito jovem. Estávamos diante três gerações da família. Few chegou um pouco depois. O Gabriel fez muita falta, mas estava presente em nossos corações. Foi com a partida dele que vivemos nosso primeiro luto neste ano...

Passamos a tarde inteira lá, batemos muito papo, dançamos algumas músicas no Just Dance 4 do XBox e ainda tomamos um chá delicioso importado da Polônia. Foi literalmente um ´chá da 5´. Se tivessemos combinado o horário, não teria dado tão certo.

Quando eram quase 18hs, o Walter ( dono e contratante da balada Pixel ) foi nos buscar ( eu e o João ) para irmos à Joinville. A estrada é tranquila, dormi a viagem inteira, acordei quando estávamos quase chegando na cidade, aliás, achei Joinville muito charmosa, lembra muito Campos do Jordão. Chegamos no hotel um pouco antes das 20hs, Walter combinou de nos buscar à meia-noite, sugeriu de irmos comer pizza num lugar ótimo, mas estávamos cansados e decidimos jantar no próprio hotel. Aliás, a preguiça era tanta que acabamos pedindo um lanche no quarto mesmo. Ainda sobrou um tempo, conseguimos dormir um pouco mais de uma hora, acordamos às 23hs e nos arrumamos.

A Pixel é uma balada pequena, mas achei bem bacana. O público é alternativo e fui muito bem recebida. Discotequei da 1h às 2h30, depois fiquei tirando foto com o pessoal, fomos embora quando eram quase 4hs.

No domingo, acordamos às 9hs, fomos tomar café-da-manhã no hotel. Às 10 e pouco, o Walter estava nos esperando para voltarmos à Curitiba. O dia estava lindo, com sol, céu bem azul. De uma cidade para a outra, não demora nem duas horas de viagem.

Quando eram quase 13hs, Carmem, Will e Few foram nos buscar no hotel, pois tínhamos combinado que passearíamos o dia todo. Primeiro, nos levaram na feira de artesanato, nas outras vezes que fomos para lá sempre tentamos ir, mas como o horário de funcionamento é apenas até às 14hs, não conseguimos ir.

Dessa vez, finalmente conseguimos! o/ A feira é grande, são uns três quarteirões, mas mesmo amando artesanato, acabei não encontrando nada em especial. Pensei que encontraria várias opções de pêssankas que são ovos pintado a mão. Comprei um numa loja no aeroporto na penúltima vez que fomos, daí acreditava que na feira, encontraria vários, mas que nada. ¬¬

Antes de irmos embora, tomamos garapa com abacaxi, há anos que não bebia isto. Foi bom para refrescar, pois estávamos com muito calor.

De lá, seguimos ao shopping Mueller, acho que é o melhor de Curitiba. Passeamos um pouco e almoçamos num restaurante muito bom chamado Fish N Chips, tão bom que depois vou ver se existe em Sampa. Comi penne com salmão, uma delícia! A quantidade é grande, não aguentei tudo e achei o preço justo: R$ 24,90. Depois tomamos frozen em um outro lugar, nos despedimos da Carmem e fomos passear.

Em Curitiba, há a Linha Turismo. Em Sampa, não ando de ônibus nem que me paguem, andei duas vezes na vida pra nunca mais, mas achei os ônibus de turismo de lá tão fofos que não me importei. São dois andares, sendo que o de cima é a céu aberto. Aliás, até mesmo os que não são desta linha dá vontade de andar, parecem ser aconchegantes, aparentemente são muito bem cuidados e organizados. Aliás, em Curitiba tudo é mais organizado e limpo. Gosto muito desta cidade.

Enfim, na Linha Turismo, a passagem custa R$ 27 por pessoa e circula pelos principais pontos turísticos da cidade. O valor cobrado dá direito a 5 tíquetes, sendo que um embarque e quatro desembarques. O percurso completo demora duas horas e meia.

São 25 opções de pontos turísticos, difícil é escolher apenas quatro. Tivemos muita sorte por conta do dia lindo e ensolarado, então conseguimos aproveitar muito bem a tarde de passeios.

Nossa primeira parada foi no Museu Oscar Niemeyer, construído em 76, é considerado o maior e mais moderno museu do Brasil e tem formato de um olho:

 
 
Depois, fomos na Ópera de Arame, construída no meio da natureza e onde ocorrem shows e eventos culturais. Fiquei um bom tempo observando as enormes carpas no lago.




Por último, fomos até o Parque Tanguá que foi construído em antigas pedreiras. A vista é maravilhosa, uma joaninha pousou em meu braço, ficamos papeando um pouco, admirando a paisagem, até que resolvemos ir embora. Já eram quase 18hs e estávamos todos cansados porque não paramos e encaramos muito calor. Por falar nisso, quase inacreditável ter enfrentado sol forte em Curitiba, pois sempre passei frio lá. Tivemos realmente muita sorte!



O trajeto até o hotel demorou quase 40 minutos, ainda passamos em outros pontos turísticos, como o bairro da Santa Felicidade ( onde tem restaurantes ótimos! ), na Torre Panorâmica, etc., no entanto não descemos do ônibus.

Quando chegamos na frente do hotel, resolvemos ir até o Shopping Estação para tomarmos espresso e fazer um lanche, fomos então na Kauf Cafeteria, onde comi um dos melhores bolos da minha vida: de canela! Ficamos conversando lá por um pouco mais de uma hora e então chegou o momento da despedida dos piás mais queridos que há, Will e Few!

Voltamos para Sampa na segunda-feira. Não trouxe nenhum  pêssanka como imaginei, mas trouxe várias boas lembranças destes dias em Curitiba! ;)

Um pedacinho da vista do Parque Tanguá



quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Curitiba - Parte I

Jardim Botânico ( Curitiba )
Chegamos em Curitiba na sexta à tarde. O Will e o Few já estavam nos esperando no aeroporto que, na verdade, fica na cidade ao lado, em São José dos Pinhais. No caminho, passamos na frente do Jardim Botânico e resolvemos entrar.
Eu já conhecia da viagem que fiz com os meus pais para lá, na minha adolescência.

O lugar é lindo e bem cuidado, muito verde, flores e ar puro. Dá vontade de deitar na grama e ficar pensando na vida ou batendo papo com alguém.

Eles nos deixaram no hotel e combinamos de sairmos às 21hs para jantarmos e depois irmos dançar em alguma balada. Tínhamos umas duas horas para descansar, mas eu e o João estávamos sem sono e resolvemos ir ao shopping Estação que fica praticamente ao lado de onde estávamos hospedados. Era uma estação ferroviária, manteram a estrutura e arquitetura, então é bem charmoso. O shopping é uma grande praça de alimentação com lojas ao redor e no piso superior. Não possui muitas opções, mas quebra bem o galho.

Como estávamos com fome e não poderíamos comer muito, pois jantaríamos em pouco tempo, então comemos um donut com espresso fraquíssimo na Café Donuts. Depois passeamos um pouco, fiz algumas comprinhas em especial de chocolate artesanal produzido em Joinville.

Mais tarde, fomos com os piás, Will e Few no Casa di Bel, um restaurante super aconchegante que lembra muito uma casa de avó, com objetos de decoração bem retrôs. ( a foto que publiquei de um Pinóquio no Instagram é de lá ). Pedimos algumas porções, mas há uma boa variedade de pratos principais. Como íamos beber, optamos por friturinhas básicas: mandioca frita com parmesão, frango a passarinho e bolinhos recheados com carne seca. Bebi um drink Alexander, que eu adoro! É uma combinação de licor de chocolate, creme de leite, leite condensado, conhaque e muita canela. Um perigo!

Ficamos lá até quase meia-noite, não passei despercebida e acabei tirando foto com várias pessoas, até mesmo com o garçom que nos atendeu. Uma abordagem em especial, me surpreendeu bastante, demorei para processar tantas informações. Estávamos na mesa e uma moça se agachou ao meu lado, falando muito rápido, como se estivesse nervosa ainda que falando bem baixo, disse sobre a ligação indireta que tem comigo e blá blá blá. Nossa, confidenciou tantas coisas que quase pedi para que se sentasse conosco para conversarmos com calma. Não parava de falar e eu, claro que muito interessada no assunto, ouvi tudo. Depois ela falou com o João também. No fim, achamos graça da situação, o mundo é pequeno. Ela foi morar em Curitiba para recomeçar a vida. Não sabia da existência dela, quanto menos da amizade que teve com um ser que arrancaria todos os fios de cabelo se descobrisse que agora sei de muitos podres.

O mais louco é que não íamos neste restaurante, foi nosso plano B, mas decidimos ir e depois desta abordagem, concluí que algo me levou até lá, esta moça precisava falar comigo...

Depois, seguimos para a balada James, já conhecia muito de nome, pois Will e Few são frequentadores assíduos e sempre comentam muito bem. Realmente é um espaço muito bacana, curti bastante, principalmente o estilo musical indie, gênero forte no local. Dançamos e nos divertimos muito e bebemos Desesperados, a cerveja mexicana que comprei para o meu niver.

Não ficamos muito, eu e o João fomos embora quando não eram 3hs, mas os piás continuaram lá. O Will estava ficando com um menino e o Few segurando um belo castiçal.

Will, Few e eu na balada James

terça-feira, 6 de novembro de 2012

Pena que o feriado e o finde passaram voando, mas conseguimos passear bastante e "desligarmos" as mentes, curtimos muito nossos dias em Curitiba! Chegamos cansados ontem em Sampa e as responsabilidades já estavam nos esperando. Ai ai ai.

Durante algum momento do dia, contarei o que fizemos. Enquanto isso - e aproveitando este post - vou contar um fato ocorrido no aeroporto de Curitiba durante o raio-X do embarque: a moça me obrigou a jogar fora o tubo de um spray que uso no cabelo. Não entendi nada, afinal este mesmo produto faz parte da minha necessaire de viagem, ou seja, viaja para todos os cantos comigo, inclusive já levei para Curitiba e nunca me causou problema. Vai entender!
Ela até comentou que se não quisesse jogá-lo fora, poderia voltar para desembarcar na mala, mas em viagens curtas levamos apenas duas malas de mão, justamente para não precisarmos ficar as esperando na esteira. Fora o fato que todo o trabalho não valeria a pena por um spray que não custa nem R$ 30 e já estava na metade.

Enquanto isto, a pinça para sobrancelha passou... Daí me lembrei de quando em algum aeroporto, não me lembro em qual, fui obrigada a jogar uma fora. Agora me digam: qual o perigo que uma pinça causa dentro de um avião? Terrorismo arrancando os pêlos de todo mundo?

Tem coisas que a gente não entende. E talvez seja melhor nem entender, sabe.

 Hoje o dia começou cedo e será longo e corrido. Bom dia! ;)  

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

E depois da tempestade...

Diante os bons acontecimentos desta semana, comprovei mais do que nunca que, depois da tempestade vem a bonança. Provérbio antiquissimo, mas com muito sentido.
A tempestade deste ano em minha vida, me parece que enfim, terminou. Deixei passar um pouco mais de um mês para então concluir isto.

Respostas que eu estava esperando há bastante tempo, chegaram nestes últimos dias. Mera coincidência ou sintonia pura?

A vida realmente é louca...!

Daqui a pouco, estamos indo à Curitiba.Vamos matar saudade de nossos amigos que lá estão. Amanhã à noite, vamos à Joinville, pois discotecarei na balada Pixel, mas depois retornaremos à Curitiba, onde ficaremos até o final de tarde da segunda-feira.

Bom feriado e finde para você! E até. ;)

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Minha terça-feira foi simples e gostosa. Começou cedo, às 6h30, pois o João foi trabalhar antes do rodízio do carro começar para então voltar antes das 17hs pelo mesmo motivo, para irmos à piscina! O dia começou e terminou cedo.

No meu caso, terminou às 15hs e pouco, quando cheguei em casa, cansada e morrendo de calor. Meu almoço foi um pote de açaí natural. Nosso jantar foi milkshake de ovomaltine. Alimentação super saudável. Só que não.

Com tanto calor, não tenho fome, apenas vontade de me refrescar. Às 16h30, ele me ligou avisando que já estava chegando, então pediu para que eu separasse a sunga, uma toalha e que me arrumasse, pois ele ia subir, se trocar e já desceríamos para a piscina.

Antes das 17hs já estávamos na água que estava boa demais, na temperatura certa, suficiente para refrescar, sem passarmos frio. Ainda tinha um pouco de sol, afinal estamos no horário de verão, então teoricamente eram quase 16hs... 
Ficamos até quase 19hs, nos divertindo na água. Mergulhamos, competimos, brincamos e até salvamos uma vespa que estava quase morrendo afogada. A colocamos no piso da borda e ficamos observando se recuperar, notamos que estava sem uma das asas. Do nada, ela saiu andando. Sem uma asa, não poderá voar. "Será que seria melhor deixá-la morrer afogada?". Rimos com nossas teorias.

Parecíamos duas crianças na piscina. Um momento tão simples, mas tão intenso. Há poucos dias, ele comentou comigo que nossa fase de lutos, nos deixou mais cúmplices e próximos, nos uniu mais ainda. E eu concordo.

Voltamos para casa e ele resolveu fazer o milkshake de ovomaltine. O do Bob´s é muito doce e nas últimas vezes que tomamos lá, tinha mais leite do que sorvete, estava mais líquido do que gelado. Então ele decidiu que tentaria fazer em casa e conseguiu, desde então quando temos vontade deste milkshake, o João faz.     

A Fê chegou do trabalho e me ligou, fizemos uma breve reunião para iniciarmos as estratégias de marketing para o Natal, até a sexta da próxima semana, precisamos estar com tudo definido para atarcarmos. Temos pouco tempo, então a próxima semana será uma loucura para nós.

Mais tarde, às 21h30, fomos na casa da Elaine, pois a filha dela está fazendo faculdade de jornalismo e queria que eu colaborasse em um trabalho. É engraçado porque a filha dela tem a minha faixa etária, sou quatro anos mais velha que ela, masss sou amiga da mãe que tem catorze anos a mais que eu.
Quando a entrevista acabou, a colega da faculdade foi embora, a filha da Elaine foi dormir porque já era quase meia-noite, eu e a Fê continuamos lá, bebendo espumante.

Quando eram umas 23hs, liguei para o João pra dizer que demoraria um pouco, mas ele disse que estava salvando o mundo, ou seja,  jogando videogame em casa, então fiquei tranquila com o tempo. Eu e a Fê fomos embora quando eram quase 1h30, nem vimos o tempo passar e quando cheguei em casa, o João estava dormindo no sofá. Cansou de me esperar.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Meu aniversário: 28 em 28

Pra quem não sabe, ontem completei mais um ano de vida!
Decidi comemorar de uma maneira simples, mas se tivesse sido diferente, não teria sido tão bom..

Até quinta-feira, estava decidida que faria um churrasco no domingo para comemorar. Na sexta, dia de começar a organizar tudo e convidar toda a turma, algo me disse para não fazer, segui minha intuição que, desde que voltei a frequentar o centro ( não é o centro de Sampa, hein? risos... É um centro espírita ), está mais forte.

Ontem no meio da tarde, caiu a maior chuva e seria bem no início do churrasco, pois marcaria com os convidados às 16hs. E sim, eu ficaria bem triste porque a chuva estragaria todos os planos, afinal a área onde fica a churrasqueira é totalmente aberta, não teria nem como continuar. E eu e todos os convidados, teríamos de ficar protegidos no salão de festas.

Por conta dos lutos, passei por uma fase difícil e daí neste período, algumas pessoas foram mais presentes em minha vida do que outras. O que não quer dizer que eu considere menos as ´outras´, ok?

Meu aniversário neste ano teve um significado maior: o encerramento de um ciclo difícil e uma homenagem aos que nos deixaram aqui e continuaram a caminhada de outra maneira...

Resolvi então fazer um jantar em casa para as pessoas que estiveram muito presentes no meu dia-a-dia neste período. Às 20h30 do sábado, recebemos os 12 convidados em casa, o João ficou responsável pelo jantar, preparou um risoto com frutos do mar que de tão bom, não sobrou nenhum grãozinho do arroz arborizado.

Não apenas o risoto que fez sucesso, mas também a cerveja mexicana. Pena que comprei poucas garrafas, pois não achei que agradaria tanto e até quem não bebe cerveja, bebeu! Mas por sorte tinham outras bebidas, como vinho branco e champanhe.
A cerveja chama Desesperados, é tequila com cerveja! Peeense em uma mistura boa!

Foi uma comemoração muito boa! Depois da meia-noite, cantaram Parabéns para mim, apaguei as velinhas, fiz meus três principais pedidos, comemos bolo e a festa continuou. Acabou quando eram quase 4hs. Quando os convidados foram embora, eu e o João arrumamos tudo e depois ficamos no terraço da sala até o dia começar a clarear... No fim, fomos dormir quando eram quase 7hs.

Acordamos às 11hs com o despertador tocando loucamente. Levantei rapidamente quando vi que o dia estava lindo! Fomos tomar café-da-manhã em uma padoca que adoramos no Campo Belo e de lá, já fomos votar para ficarmos livre disto!

E depois fui para a piscina, pois algumas amigas do prédio já estavam lá! O sol estava ardido do jeito que gosto, juro que não estava esperando por um dia tão lindo. Por um momento, até me arrependi por não ter realizado o churrasco...

Como ainda tinha sobrado bastante camarão que compramos para o risoto, o João deu a ideia de preparar um almoço para não desperdiçá-los, então convidei minhas amigas para irem almoçar em casa. Quando resolvemos que faríamos este almoço, o sol ainda estava tão forte, então disse que seria mais para o final da tarde, pois queria aproveitar o máximo o momento na piscina e como sei que elas também queriam aproveitar... Combinamos às 16h30! O João subiu antes para deixar tudo pronto. Quando eram quase 16hs, fomos embora da piscina, cada uma foi para seu próprio apartamento e combinei delas estarem no nosso em meia hora.

Já avisei que seria um almoço rápido porque o João já tinha comprado ingressos para o cinema, e como a sessão seria às 19hs, então teríamos que sair de casa no máximo às 18h30...

Aconteceu uma coincidência... No sábado, durante o janter, a Lu me perguntou quais eram os planos para o domingo, daí comentei que queríamos ir assistir o Intocáveis. Ela então disse que ia com o marido e um casal de tios, que já tinham até comprado os ingressos e falou para irmos com eles. O João no mesmo intante entrou na internet e comprou para nós também e ainda conseguiu nas poltronas ao lado deles!

O macarrão com camarões do chef  João estava delicioso, devorei três pratos cheios e depois atacamos o que sobrou do bolo!

Como a Lu ia com o marido e os tios no mesmo carro, então e o João fomos no nosso e a Fê foi com a gente. Quando chegamos no Kinoplex, ainda faltavam vinte minutos para o filme começar. Mesmo sem fome alguma, compramos pipoca.

Desde a estreia, estávamos com muita vontade de assistir o Intocáveis, pois escutamos apenas elogios deste filme e não é para menos... Que história linda! É um filme para dar boas risadas e também se emocionar. Adoramos!!

O filme acabou às 21hs e estávamos com fome, a tia da Lu sugeriu de irmos jantar para comemorar a noite do meu aniversário. Fiquei responsável para decidir onde iríamos...

E assim, fomos na pizzaria La Glória! Onde o ambiente é super charmoso e a pizza deliciosa! Como estávamos em 7 pessoas, então nos acomodamos em uma mesa redonda no fundo, que é o lugar que mais gosto de sentar quando vamos lá, pois fica ao lado de uma fonte com alguns budas.
A pizza Napoli é a minha favorita, com mussarela de búfala e pesto de azeitonas. Além da boa pizza, o petit gateau do La Glória é um dos melhores que existe! Fica a dica.

Fechei meu final de semana de aniversário com chave de ouro!

      

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Aproveitando que estou passando por um momento de desapego, combinei com a Karen que hoje faríamos uma limpeza de coisas materiais nas duas tocas. Começamos às 8h30, agora resolvi dar uma pequena pausa pra fumar e tomar café, então aproveitei o descanso para escrever. Todo final de ano, faço uma limpeza geral de coisas que não usarei mais, mas decidi fazer antes do meu aniversário, pois na verdade é quando começa um novo ano, um novo ciclo...

Mesmo com a limpeza nos finais de ano, não desapegava completamente como deveria. Ainda guardava muita coisa com o pensamento: "Ah, mas um dia será útil...". O resultado deste pensamento é que eu e o João temos um quartinho na casa dos pais dele que está abarrotado de caixas com coisas nossas. Além deste quarto, tínhamos até hoje a parte de cima de um armário na primeira toca abarrotado igualmente e um armário quase inteiro aqui na segunda toca.

Tô me desapegando de tudo, sem o pensamento que um dia usarei. Pra quê guardar uma pista de autorama que usamos cinco vezes no máximo se a Karen tem um filho de 9 anos que brincaria sempre? Pra quê guardar aparelhos de celular e notebooks antigos que não serão mais úteis para mim, mas que ainda funcionam e podem ser úteis para outras pessoas? Pra quê guardar tantos cds antigos se as boas músicas deles já estão há tempos salvas no meu HD? Pra quê tanta caneta? Pra quê tanto perfume? Enfim, pra quê guardar tantos materiais dispensáveis para mim, mas úteis para alguém?

Em uma das caixas, estavam coisas que comprei em uma viagem em 2006 que até hoje não usei e é óbvio que não usarei nada e nunca. Tinha até um calendário 2006 de mesa lindo com figuras de pinups, abri a embalagem plástica agora há pouco.

Encontrei também uma coleção de chaveiros fofos dentro de uma sacola. Comecei a colecionar há alguns anos atrás, mas desisti ( ainda bem! ) e tinha até me esquecido deles. Troquei os quais estava usando e dei adeus aos demais. 

Separei várias pastas com papeladas que verei com calma amanhã, mas uma que abri pra fuçar, me deparei com contas e extratos de 2008/2009. Pra quê?

Já avisei ao João que ainda nesta semana faremos uma limpeza no nosso quarto da bagunça na casa dos pais dele. Lá ele precisará estar presente, pois há muitas coisas dele...

No mais, hoje é dia de desapego, à tarde tenho uma gravação na TV Record e à noite tenho uma festa para ir, de comemoração do aniversário da Lu! o/

Bom dia! ;)

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

A semana passada foi muito boa para mim! Começou com três trófeus no Prêmio do Cinema Nacional que o filme Bruna Surfistinha conquistou e, terminou com a mudança para o horário de verão que eu tanto adoro! :)

Consegui dar conta de tudo em relação às responsabilidades que a Fê deixou para que eu fizesse durante a semana. E ainda consegui começar a colocar em ordem as respostas mega atrasadas de recados que recebi no Facebook, pelo menos respondi boa parte das mensagens reservadas, nesta semana responderei outra parte até zerar tudo. Com o lançamento do novo site da criatura - já era pra estar no ar há tempos, masss antes tarde do que nunca - quero iniciar uma nova fase para ela também. Dentre outras coisas, quero estar mais presente com a criatura nas redes sociais e para isto, preciso colocar as respostas em dia, para que não acumulem ainda mais.

Na sexta, senti falta de ir ao Centro, mas foi por um bom motivo... Como tinha discotecagem na The Week, então marquei com a Fê e a Elaine que iam conosco, de fazermos um esquenta antes de irmos para lá. Até daria tempo de ter ido ao Centro, mas não faria sentido nenhum receber um passe e ir encher a cara de bebida, o que não ocorreria apenas no esquenta, mas na própria The Week também.

Aproveitamos para assistir o último capítulo da novela que comecei a acompanhar pra valer na última semana, ainda assim queria saber afinal quem matou Max! Como a Avenida Brasil não fez parte da minha rotina, então não estava com nenhuma expectativa para o último capítulo, mas minhas amigas noveleiras estavam esperando mais e senti uma decepção geral no bar onde estávamos assistindo.

Chegamos na The Week à 1h15 e fomos embora às 5h40! A festa Gambiarra, assim como em Brasília, foi boa demais!! Curtimos muito! Discotequei na pista nacional e na de eletrohouse. A equipe me recebeu muito bem e me senti em casa.

Saímos de lá famintos, demos carona pra Fê, Elaine e a Marcela, daí paramos na Galeria dos Pães para alimentarmos as lombrigas. Enfim, chegamos em casa quando eram quase 7hs! Acordamos com o despertador às 13hs, o dia estava feio e nublado. Fui tomar café com a Fê e o João foi para a casa da mãe para irem juntos à missa de um mês para o meu sogro. Pois é, já completou um mês. A falta que ele faz é grande demais!

Não fui nesta missa, pois prefiri orar em casa, do meu jeito respeitando a minha fé. A minha ausência foi compreendida por todos.

Marquei com a Helena de nos encontrarmos às 14hs, pois uma amiga dela está fazendo um trabalho para a faculdade de Direito sobre a legalização da prostituição e queria um depoimento meu, então marcamos e gravamos. A Helena trouxe para mim um presente de uma fã que conheci em Porto Alegre, a Karine. A Ká mandou para o endereço da Quinha ( Helena ) o presente no ano passado, era para ser pro meu aniversário, mas apenas no sábado que recebi!

O mimo é uma Moleskine ( que eu amo! ) de uma edição limitada do Pac-Man. Publiquei uma foto no Instagram. Por sorte, ainda não tinha esta, mas mesmo se tivesse, não teria problema nenhum, afinal Moleskines sempre são bem-vindas em minha vida! A carta que acompanha é linda demais, até me emocionei! E a embalagem é muito fofa, também será útil, como estava precisando de um lugar maior para guardar minha coleção de esmaltes, os migrarei para esta caixa nova! Valeu, Kah, muito muito obrigada! *-*

Às 18hs já estava em casa, estava com tanta preguiça e sono que acabei dormindo, acordei quando já eram quase 22hs! O João queria sair para jantarmos em algum restaurante, mas como a preguiça ainda não tinha ido embora de mim, o convenci de ficarmos em casa, então pedimos pizza, abrimos uma garrafa de vinho e a nossa noite foi uma criança!

Acordamos às 9hs, fomos tomar café-da-manhã em uma padoca, passeamos com a Tati, fomos no supermercado e ao meio-dia estava esticada tomando sol na piscina, onde fiquei até às 16hs para manter o bronzeado. Meu finde foi do jeitinho que gosto.

E esta semana promete ser boa! Assim espero, afinal será a despedida dos meus 27 aninhos... Meu niver já será no próximo domingo, oba! Ainda não decidi se farei churras ou uma festinha em casa, a minha decisão está nas mãos de São Pedro, ficarei de olho no Climatempo. De qualquer maneira, não passará em branco de jeito nenhum.

Bom dia! Boa semana!

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Para a alegria dos chocólatras...

... O Lollo voltou! É uma edição limitada, por isso se você quiser matar saudade dele, corra para garantir pelo menos uma caixinha!!

Mal pude acreditar quando me deparei com o Lollo em uma prateleira do supermercado, fiquei realmente muito feliz.

Lançado nos anos 80, este chocolate fez muiiito parte da minha infância! Mudou de nome para Milkbar quando ainda era criança, mas mesmo assim deixou saudade.

A fórmula pode ser até igual, tendo ocorrido apenas a mudança de nome, mas quem o devorou na época, concordará comigo: Lollo é Lollo! Simples assim.

Comprei as seis caixinhas que estavam na prateleira pra garantir um pequeno estoque em casa. Quando fui colocar uma no carrinho, pensei: "E se nunca mais encontrar?" ( risos ). Por garantia então, resolvi comprar todas disponíveis.

Já devorei duas barrinhas e estou me controlando, juro. Bom demais chocolate com gostinho de infância!



segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Feriado

O feriadão acabou e o sol voltou. Lei de Murphy. Ainda assim, estes dias foram muito bons, deram uma renovada na energia!
O sábado foi quase como planejamos, apenas não conseguimos dormir antes de irmos para a festa à noite, fomos comer feijoada com a turma no início da tarde e o tempo voou, quando fomos ver já eram quase 18h30, sendo que a festa começava às 20hs... E o João queria sair de casa às 19h30! No fim, nos atrasamos e chegamos quase 20h30, ainda assim fomos uns dos primeiros a chegar, a Fê e a Lu foram com a gente. A festa foi em uma mansão no Morumbi, em uma casa linda. Do jeito que sou estabanada, fiquei até com medo de tocar nas coisas e quebrar alguma peça da decoração.

Por ser uma despedida, então ao mesmo tempo que foi triste, pois ficaremos um ano sem vê-la, por outro lado, foi uma festa bem animada. Ela voltará e é isto o que realmente importa!

***
Aconteceu algo que há não muito tempo estava esperando, queria muito sentir e viver tal experiência. Ainda que com muita vontade, meu medo estava bloqueando. Tudo ainda é muito novo. Quase não consegui, respirei fundo e tive coragem. Me fez um enorme bem, a sensação que tenho é que tirei um peso das costas. A primeira vez ( de tudo! ) a gente nunca esquece! E assim, dei o primeiro passo para iniciar um novo trabalho, este sem fins lucrativos. Nem sempre o nosso lucro precisa envolver dinheiro. Um sincero sorriso em forma de agradecimento que recebemos de alguém, é gratificante. Tô em busca destes sorrisos...

***
Fomos embora da festa às 4h30, chegamos em casa às 5 e pouco, e quase tive um treco quando o João me lembrou que precisávamos acordar às 8h30... Ele tinha combinado com um casal de amigos de irmos tomar café-da-manhã juntos às 9hs, em um local que abriu recentemente perto de onde moramos. Como o buffet termina às 10hs, então precisávamos estar lá cedo para aproveitarmos. Mas, ao chegarmos lá, nos decepcionamos, não tinha muita variedade e pelo valor, o custo-benefício era pequeno, não valia a pena. Então sugerimos de tomarmos café em outro lugar, que eles ainda não conheciam, o Pain et Chocolat, que por vários anos ganhou o prêmio de melhor buffet de café-da-manhã. E ainda é brunch, vai até às 14hs. Como chegamos cedo, não tinha muita gente. Ficamos quase duas horas comendo e conversando. Comi até não aguentar mais, com muita gula e sem peso na consciência.

Estava muito frio e depois de tanta comilança, tivemos a brilhante ideia de voltarmos para casa e dormirmos novamente. E foi o que fizemos. Dormimos quase o dia inteiro, acordamos quando eram quase 17hs. E pasmem, famintos! E eu que pensei que não conseguiria comer mais nada...

O João ligou para a mãe dele, passamos no Caminito para comprarmos empanadas e fomos visitá-la. Ficamos lá até quase 20hs, a Fê me ligou e combinamos de tomarmos café, então nos encontramos. Ficaremos esta semana sem nos ver, pois ela viajou hoje cedo a trabalho. Nesta semana o meu trabalho será dobrado, pois terei de fazer a parte dela em relação aos cuidados com o nosso filhote.

Espero que esta semana seja boa! Boa semana para você! E até!

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Mais uma semana que acabou. Pena que o clima mudou, estava bom demais para ser verdade! Na terça à noite, vi no site Climatempo que a quarta-feira seria o último dia com sol antes do feriado, então não pensei duas vezes, mandei um beijo para as responsabilidades e passei boa parte da quarta na piscina para aproveitar, fiquei até quase 16hs, voltei para casa, tomei banho e resolvi algumas coisas até a professora Márcia chegar, às 20hs. Às 22h30 já estava no bar e foi uma loucura porque o marido da Fê deu um susto em todo mundo ao desmaiar do nada. Um casal de amigos que os levou ao hospital, mas um pouco mais tarde, fui com o João e outra amiga até lá para ter notícias. Ele recebeu alta às 4h30, graças à Deus foi apenas um susto.

Mas na quinta-feira, acordei com uma ressaca do tipo que a gente jura que nunca mais vai beber na vida. Foi difícil colocar o miolo pra funcionar...

Oioioi. Cansada de boiar nos comentários sobre Avenida Brasil, assisti o capítulo inteiro da novela na quinta. Claro que não entendi nada, mas a Fê tirou todas as minhas dúvidas hoje, no caminho para uma festa que fomos pra comemorar o dia das crianças.

Aliás, voltamos com vários doces para casa, pois como o João também foi e ganhou uma sacola de guloseimas também, então enchemos um pote. A festa foi muito boa, nos divertimos como crianças, aliás, não podemos deixar morrer a criança que existe dentro de nós!

Amanhã, sabadão, meu dia já está todo planejado: de manhã vou com a Fê ao salão para darmos um trato nas unhas das mãos e dos pés, depois vamos comer feijoada com a turma, no final da tarde cada uma vai para sua toca para dormir um pouco pra descansarmos para a festa bapho que iremos curtir à noite! o/

Bom finde para todos e até! ;)
   

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Brasília+Gambiarra+Finde

Chegamos em Brasília quando eram quase 15hs da última sexta. Ainda no aeroporto, conhecemos os DJs da Gambiarra, o DJ Miro Rizzo e  DJ Trovão. Combinamos com eles de nos encontrarmos no saguão do hotel para almoçarmos juntos. Quando descemos, conhecemos o DJ Ramilson Maia. Fomos em um shopping próximo, de tão ruim nem fiz questão de guardar o nome, pelo menos conseguimos alimentar as lombrigas.

Ah, o João e o Ramilson se conheceram na adolescência e se reencontraram após quase 20 anos! Mundo pequeno! Descobriram que mantêm alguns amigos em comum e relembraram de momentos que viveram juntos.

Ramilson é fera em produção musical, já produziu para vários artistas e dá aula. Já combinamos que será meu professor! :)

Voltamos ao hotel e dormimos. O dia estava lindo, muito quente, mas estávamos muito cansados e precisávamos descansar para encararmos a madrugada. Acordamos quando eram 19h30, não dormimos nem 2 horas no fim, mas foi o suficiente. Falamos com a Patrícia, nos arrumamos e ela foi nos buscar para irmos jantar.

Fomos ao restaurante Mangai, que é um dos melhores que já conhecemos. Não é a toa que foi a nossa terceira ida lá - a primeira vez foi também em Brasília e a segunda em Natal. Quando chegamos, o Geraldo, marido da Pati, já estava nos esperando.
Foi tão bom revê-los após 4 meses! Matamos saudade e colocamos o papo em dia. Ficamos papeando por um pouco mais de 3 horas. Ainda ganhamos mimos! Geraldo presenteou João com vários queijos, um melhor do que o outro. Patrícia me presenteou com sabonetes com essência de Capim Santo.

São amizades para a vida toda! Os aguardamos agora em Sampa!!

***

Festa Gambiarra

Assumo que estava um pouco preocupada. Seria minha primeira apresentação com músicas nacionais e não sabia qual estilo específico que agradaria. Segui a intuição e os meninos DJs me deram algumas dicas, acabei selecionando músicas com vários estilos. Abri a apresentação com Sinais de Fogo ( Preta Gil ) e fechei com Hoje eu não vou dar, vou distribuir ( Valesca ). Entre estas duas, toquei outras vinte, dentre elas, da Ana Carolina, Tim Maia, Jorge Ben, Jota Quest, Kaleidoscópio ( música Tem que valer que, aliás, foi produzida por Ramilson! ), etc. Ah, toquei Mamonas Assassinas. E pra fechar alguns bons funks: MC Catra, MC Sapão e Valesca.

Não imaginava que me divertiria tanto tocando músicas nacionais...Amei a experiência!

Pista lotada. Galera agitada. Elogios. Arrepios.

Foi um prazer discotecar na festa Gambiarra. Quero mais! E terei! Dia 19, na The Week, aqui em Sampa.

Ah, foi comemoração de 2 anos de Gambiarra em Brasília, cantamos Parabéns e tudo. Foi uma festa com motivo especial e fiquei lisonjeada por ter feito parte deste momento!     

A balada Victoria Haus, onde ocorreu a Gambiarra, é super bacana! Gostei muito!!

***
Chegamos em Sampa no sábado, quando eram quase 19hs. Tínhamos um aniversário para ir, mas acabei ficando em casa e o João foi sozinho. Estava muito cansada e com ressaca. Chegamos no hotel às 6hs e pouco da manhã, demorei para conseguir dormir porque bebi tanta vodka com energético que estava agitada. Tínhamos de estar às 14h30 no aeroporto porque mesmo nosso voo sendo mais tarde, a equipe do Gabiarra ( produtores e Djs ) estava toda no mesmo hotel e para facilitar, fomos todos juntos na van até o aeroporto, pois tinha gente com o voo mais cedo.

Mas como estávamos bem acompanhados, não nos importamos de estarmos mais cedo do que precisávamos no aeroporto. Almoçamos com calma. Aliás, me decepcionei com o nhoque do Baked Potato...

Não consegui dormir no voo da volta, então cheguei em casa desejando meus travesseiros. O João foi na festa de aniversário e fiquei cochilando. Até que acordei com um som do celular: era a Fê me chamando no whatsapp. Liguei em seguida e ela disse que estava morrendo de tédio, que estava me esperando chegar para salvar o dia dela.

Ela morrendo de tédio e eu morrendo de sono. Mas como tédio é pior do que sono, combinamos de nos encontrarmos na recepção em meia hora para decidirmos o que faríamos. Estávamos conversando na frente do prédio e encontramos com uma amiga que estava chegando, então a levamos junto para um bar onde ficamos até quase 1h.

Avisei o João e disse para onde estava indo. Ele me avisou quando chegou em casa e disse que tinham vários brigadeiros, pois a mãe dele separou e pediu para que os levassem para mim. Cheguei em casa e ele já estava dormindo, devorei metade dos docinhos, fui tomar banho, não consegui terminar de ler uma matéria da revista e dormi que nem uma pedra.

***
Domingão com dia lindo! Às 9h30 já estava na piscina com a turma do prédio, com o sol que pedi a São Pedro. Triste foi pensar que a qualquer momento teríamos que ir votar... E cada um vota em uma escola diferente, então nem dávamos para irmos juntos. Fomos quando era quase meio-dia. A Fê foi comigo para justificar na escola onde voto, ela é de Vitória ( ES ) e embora esteja há muitos anos em Sampa, ainda não fez a alteração no cartório eleitoral.

Depois voltamos para a piscina, onde ficamos até às 17h30... Meu domingo foi do jeito que gosto!

***
O segundo turno será bem no dia do meu aniversário. Olha que bacana! Só que não.
Masss como o candidato a prefeito que votei está concorrendo, então precisarei ir. Como a disputa aparentemente será acirrada, um votinho a mais já ajuda...

Se ele não tivesse ido para o segundo turno, não me daria este trabalho em pleno dia de comemoração. Aliás, se ele não tivesse ido, eu anularia o meu voto ou deixaria de ir e depois pagaria a multa. Simples assim.  

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Oiê

Tudo está fluindo novamente. Até quando? Isto pouco importa no momento. Estou aprendendo a viver cada dia de uma vez, sem tanta ansiedade como num passado recente. O ano já está acabando. E nesta semana, já em meu inferno astral, me peguei pensando no que 2012 está significando para mim. Anotei tudo, antes que me esqueça de algo porque é bem provável que eu compreenda situações ocorridas somente daqui a um bom tempo, talvez anos.

Abri um chocotone de Natal. Sim! De Natal. Levei um susto quando no final de agosto vi que panetones e chocotones já estão à venda. Cada ano que passa, eles aparecem mais cedo nos supermercados. Comi quase inteiro e sozinha, mas sem culpa. Já que é para engordar, que seja com dignidade.

E hoje passei o dia inteiro ouvindo músicas nacionais, e algumas destas em várias versões. Comecei logo cedo e terminei agora há pouco. Separei mais de cem, em diferentes estilos. E depois fui filtrando, até que fechei em cinquenta. Destas, tocarei umas trinta, mas é bom sempre ter várias de reserva.

Amanhã, vamos à Brasília, onde discotecarei na Gambiarra, uma festa eclética e bem conhecida, frequentada por vários famosos.  Comandarei o som na pista principal na qual a única regra é tocar músicas nacionais. Ah, discotecarei na edição desta festa que ocorrerá aqui em São Paulo, ainda neste mês, aliás.  *-*

Ouvi várias músicas que fizeram parte da minha adolescência e que adorava. Achei interessante escutá-las depois de tantos anos e com calma. Algumas mudaram o sentido... É como reler um livro após anos, acabamos tenho uma nova visão da história, captamos novas mensagens, enfim.
Outro fato que aconteceu é que ouvi algumas músicas que não tinha dado bola quando tocou na época, mas que hoje prestei atenção e passei a gostar muito, como por exemplo a Astronauta ( do Gabriel O Pensador e Lulu Santos ).  

Amanhã, aproveitaremos para matar saudade do casal amigo que conhecemos em Belo Horizonte no final de maio. Lembra que fui para o lançamento de um livro e acabamos fazendo amizade com eles? Como eles moram em Brasília, então ontem avisei a Patrícia que estaremos lá e marcamos um encontro.

Já comecei a escrever o post do Comes&Bebes de Salvador, não me esqueci, não! Mas não conseguirei finalizar hoje, pois nosso voo será bem cedo e preciso deixar tudo pronto para a viagem.

Boa noite, boa sexta, bom finde! Até.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

#CARNAVAL2013

Há alguns dias, recebi convite para ir conferir a apresentação do enredo da escola de samba Águia de Ouro, que ocorreu no último sábado (29).
Chamei a Fê e o marido para irem comigo e com o João.

Assim que chegamos, quase 22hs, a quadra já estava bem cheia, mas nos levaram até o camarote, onde ficamos o tempo todo.

Reencontrei pessoas que conheci durante os ensaios do ano passado.

Pensei que me convidaram para ir porque desfilei no último, mas quando cheguei lá, soube que já estão contando com a minha participação, inclusive me passaram algumas infos, dentre elas em qual carro desfilarei! Não pude recusar! *-*

No ano passado, fui em um ensaio da Águia de Ouro apenas para fazer companhia à Valesca, daí surgiu o primeiro convite. Fui em vários ensaios e com o tempo, foi nascendo a paixão pelo carnaval, que até então não existia. Eu era uma brasileira que fugia desta data festiva, sabe. Tinha pavor!!

Ao acompanhar a Valesca, fui com o coração aberto, sem expectativas. E até mesmo antes de ser convidada, já estava encantada. Sempre fui muito bem recebida nos ensaios, em especial pelas crianças da comunidade.

Neste ano, foi a primeira vez que acompanhei a apuração e fiquei triste com a pontuação baixa da Águia de Ouro. Não estava contando em desfilar novamente, pois ter passado pela experiência de estar na avenida já havia sido emocionante o suficiente, mesmo assim apareceria em alguns ensaios neste ano para curtir e torceria com a mesma intensidade na próxima apuração. Masss, estarei lá na avenida novamente, revivendo a emoção que senti, fazendo parte de uma festa que desprezei por tantos anos, mas que aprendi a amar!

Sou grata à Valesca que me convidou apenas para acompanhá-la, mas que tem uma enorme ponta de culpa por eu estar vivendo pelo segundo ano consecutivo, as emoções do carnaval. E claro, sou grata à comunidade Águia de Ouro por sempre me receber tão bem e por estar me dando mais uma vez, oportunidade de fazer parte desta família!

Eu e a Fê no camarote da quadra.

   

Enfim, outubro! :)

Nem acredito que outubro já chegou! É o mês que mais gosto, com ótima energia, bom período para fazer um balanço da vida, resolver pendências e começar coisas novas. É o meu mês de sorte, quando um novo ciclo se inicia para mim. As grandes mudanças da minha vida aconteceram em outubro. Sempre significou um novo começo.

Espero que a fase difícil de lutos seguidos tenha acabado. Ter passado por este período me fortaleceu para iniciar meu novo outubro... Um ótimo mês para mim e para você! Vamo que vamo, com força e coragem! ;)

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Salvador: Pelourinho

Todos com quem comentamos que gostaríamos de conhecer o Pelourinho, disseram a mesma coisa: "Tomem cuidado lá!". Ouvimos tantas recomendações que por um momento até fiquei com medo. Ainda bem que decidimos ir mesmo assim!

Para chegarmos lá, subimos o Elevador Lacerda. A fila estava assustadora, mas andou rapidamente, não esperamos nem 15 minutos para entrarmos no elevador. Custa apenas R$ 0,15 por pessoa e é tão veloz que quando menos nos damos conta, a porta já abre e estamos no alto da cidade. A vista é linda!

E assim chegamos ao Pelourinho. É maior do que imaginamos. Eu pensei que fosse apenas uma praça com poucas ruas nas redondezas e só. Não conseguimos conhecer tudo, pois além de ser um bairro grande, ainda tivemos a sorte de conhecer duas pessoas muito bacanas com quem ficamos um tempão batendo papo.

Quando vi vários policiais rondando ou parados, fiquei mais calma. Não vi nenhum perigo como comentaram, é preciso estar atento como em todos os lugares do mundo, mas nosso medo foi embora rapidamente e caminhamos tranquilamente.

Assim que chegamos, vi a cafeteria Excelsior, então fomos tomar um espresso, pois não ficamos satisfeitos com o qual tomamos no restaurante onde almoçamos, afinal era fraco demais. Em dois dias, tomamos espresso em vários lugares, mas não conseguimos encontrar da maneira que estamos acostumados a tomar em Sampa. Os de Salvador são fracos demais, são "cháfés". O espresso da Excelsior não foi diferente, mas o que valeu a pena foi ter conhecido Cléia, quem nos atendeu. Mulher simpaticíssima. O que era para ser apenas um café, acabou se tornando um bom papo de quase meia hora. Dentre muitas coisas, ela nos contou ser filha do Sr. Clarindo, que é um ícone da cidade e que continua trabalhando em seu restaurante, a Cantina da Lua. Ele inclusive publicou um livro contando sobre a trajetória, acabamos comprando um exemplar com ela e perguntamos se seria possível conhecê-lo para pegarmos uma dedicatória. No mesmo instante, ligou para ele e disse que um casal estava indo para lá.

Cléia nos contou curiosidades do Pelourinho, disse porque seu pai é tão importante para a cidade e defendeu o lugar com unhas e dentes. Comentei sobre as recomendações que ouvimos e ela disse que o único problema é que há vários pedintes, em especial crianças que pedem esmola ou uma lata de leite para trocar por crack ( e de fato isto ocorreu mais de uma vez conosco ). Mas disse para ficarmos calmos que nada mais nos aconteceria ali.

Fomos até a Cantina da Lua e conhecemos o Sr. Clarindo, ele nos recebeu muito bem, sentou na mesa conosco, escreveu uma dedicatória no livro e nos contou várias histórias. Se pudéssemos, teríamos ficado horas conversando com ele. A energia dele é boa demais, um homem com muita luz.

Já eram quase 18hs e estava começando a anoitecer, nos despedimos de Sr. Clarindo e seguimos o passeio. Andamos pela rua lateral, entramos em algumas lojas e por fim, fomos até a Fundação Casa Jorge Amado, por pouco não conseguimos entrar porque fecha às 18hs. Fechou conosco lá dentro e fomos os últimos a chegar. A entrada custa R$ 3 por pessoa. Conseguimos conhecer todo o museu e ainda tomamos o melhor espresso que encontramos em Salvador, na cafeteria que fica dentro da própria Fundação. Foi o espresso que chegou mais próximo ao forte que gostamos. Ainda provamos um doce de leite maravilhoso.

Máquina de escrever e anotações de Jorge Amado

Espresso na Fundação Casa Jorge Amado.

Sem legenda, ou melhor, sem comentários! rs.


Saímos de lá quando eram 18h50 e como já estava noite, resolvemos ir embora. Para conhecer bem o Pelourinho, andar por todas as ruas com calma, ir nas lojas, na Fundação da Casa do Jorge Amado e bater papo com o Sr. Clarindo, é necessário passar uma tarde toda lá!

Passamos na frente do Excelsior e entramos para nos despedir de Cléia e agradecer por ter nos apresentado ao pai dela. Batemos mais papo, ela comentou que o marido é taxista em um ponto perto dali, ligou para ele e como estava com o táxi vago, pediu para que nos buscasse e nos levasse ao hotel.

Chegamos no hotel quando eram quase 21hs, ficamos mais de dez horas passeando por Salvador. Estávamos cansados, mas satisfeitos com o nosso dia. Levamos duas malas de mão ( um para cada ) e as nossas compras ocuparam uma inteira. Amarrotamos todas as roupas na outra.

Saímos para jantar e ficamos comentando sobre o nosso dia e as pessoas que conhecemos, Cléia e Sr. Clarindo, que tornaram nossa ida ao Pelourinho ainda mais especial. Era para termos os conhecido. E esperamos reencontrá-los.  

Impossível ir à Salvador e não conhecer o Pelourinho, Cléia e Sr. Clarindo!

Anoitecendo no Pelourinho...

Salvador: Mercado Modelo

Do passeio na Igreja do Bonfim e região, seguimos até o Mercado Modelo para mais compras e almoçarmos em um restaurante de lá, como uma senhora que conhecemos na loja São Gonçalo nos sugeriu.

Nenhuma foto ilustrará este post, pois as únicas que tirei do meu celular são da moqueca que comemos e da nossa vista para o mar ( que colocarei no post do Comes e Bebes ). Não tirei fotos dentro do Mercadão.

Nosso almoço acabou sendo mais longo do que imaginávamos, além de termos esperado quase uma hora para a moqueca chegar na mesa, ainda comemos com calma e ficamos papeando, então ficamos quase três horas sentados, quando fomos ver já eram quase 16hs e ainda queríamos ir ao Pelourinho.

Acabamos não andando por todo o Mercado, foquei apenas no que queria. E como já estávamos com duas sacolas da região do Bonfim, não queríamos carregar muito mais coisa. Compramos apenas alguns artesanatos locais e alguns doces típicos como cocadas assadas.

Ou andávamos todos os corredores ou íamos ao Pelourinho. Optamos pelo segundo.

Pra quem curte artesanatos, é um ótimo lugar para fazer compras e os preços são mais baratos que nas lojas que ficam nas ruas. Vale a pena! ;)

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Salvador: Bonfim

Religião não se discute. Estudei em dois colégios católicos ( Maria Imaculada e São Luís ), mas nunca aceitei certas crenças do catolicismo.

Encontrei minhas respostas e todo o sentido para a vida na doutrina espírita. Mas uma coisa é certa, religião e crenças à parte, nunca deixarei de admirar a arquitetura das Igrejas Católicas, por isso sempre que temos oportunidades em outras cidades, em especial nas históricas, visitamos alguma igreja.

Estando em Salvador, não poderíamos deixar de conhecer a tão conhecida Nosso Senhor do Bonfim.

As grades ao redor da igreja estão cheias de fitinhas amarradas, também colocamos as nossas. Fomos na manhã de quinta-feira, não sei se tivemos sorte, mas estava bem vazia.


A única coisa ruim da região são os inúmeros ambulantes que não deixam os visitantes/turistas em paz. Sei que estão trabalhando e tal, mas a maioria aborda de uma maneira que irrita, são muito insistentes, é preciso dizer vários "nãos" para entenderem que não queremos comprar nada. Mal descemos do táxi e dois já foram para cima de nós, não adiantou dizermos que estávamos chegando e que depois veríamos com calma o que compraríamos, pois continuaram insistindo. E daí, estupidez gera estupidez.

Infelizmente, caí no papo de um. O João estava tirando fotos e fiquei num cantinho quando um ambulante me abordou vendendo escapulários, logo me disse que comprando dele, não estaria o ajudando, mas sim a igreja. Comprei dois e alguns minutos depois, por um acaso, fiquei sabendo que é papo dele para turista, como eu, cair.

Até compraria algumas coisas de outros ambulantes, pois adoro artesanato e vi peças interessantes, mas por conta de tanta insistência, acabei decidindo fazer as compras em uma das lojas. Aliás, recomendo na qual fomos: São Gonçalo - Artigos religiosos e lembranças da Bahia. Ótimo lugar para comprar lembrancinhas, ainda mais com o atendimento da vendedora Manuela que, pacientemente e com agilidade, contou 300 fitinhas para mim.

As fitas do Bonfim existem em dez cores diferentes, cada qual simboliza um orixá. Independente da cor, há na fita um significado espiritual.

Fiquei surpresa com o valor, são mais baratas do que imaginei, na loja São Gonçalo onde as comprei, custam R$ 4,90 ( o cento!! ). Comprei 30 de cada cor, totalizando então em trezentas. Achei tão bacana a ideia de amarrar uma de cada cor com um nó, que resolvi trazer para todas minhas amigas. E ainda trouxe muitas a mais para mim, mesmo sem saber o que farei com elas.

Também amarrarei uma em meu pulso e farei 3 pedidos - os mesmos que, aliás, fiz para a qual amarrei na grade - apenas os reforçarei.

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Voltamos de Salvador dois dias antes do previsto e por um motivo muito triste. Mais um luto para encararmos juntos, o quinto em quatro meses, mas os últimos dois estão sendo os mais difíceis, e com apenas um mês de diferença.

Assim que ficamos sabendo da notícia, na manhã de sexta, ainda em Salvador, já começamos a agilizar a mudança das passagens. O primeiro voo que conseguimos foi para às 3h50 da madrugada. João conversou com um dos donos da balada, explicou a situação e para ficar bom para ambas as partes, discotequei por apenas uma hora, das 1h às 2hs. Foi uma apresentação difícil, mas fui profissional, além do dono, mais ninguém sabia e nem precisava...

Da balada San Sebastian, buscamos as malas que estavam prontas no saguão do hotel e fomos direto ao aeroporto. Durante a viagem ficamos conversando, nem dormimos. Chegamos no aeroporto de Congonhas às 6h30. A Lu, nossa amiga, foi nos buscar e nos deixou no cemitério.

Fomos tranquilos à Salvador, afinal ocorreu tudo bem na cirurgia e meu sogro receberia alta na quinta-feira...

A saudade é eterna e precisamos aprender a conviver com esta dor. O fato de ter voltado a frequentar um centro espírita há dois meses, tem sido muito bom. É onde tenho buscado força espiritual para enfrentar as perdas e superar esta fase. Por mais difícil que seja aceitar determinadas situações, nada acontece por um acaso.

Sou eternamente grata por tudo que fez por mim, por tudo o que me ensinou, pelas longas conversas, pelo respeito, pelos doces de abóbora que fez especialmente para mim... Foi uma das pessoas mais inteligentes que conheci e que agora segue o caminho.

A vida continua para ele e para nós... Um dia nos reencontraremos!
  

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Salvador - Primeiro dia

Eu e o João já tivemos o privilégio de conhecer vários cantos do Brasil, cidades que muita gente vai morrer sem conhecer, como o Acre, por exemplo. Mas, nosso país é grande e há ainda várias regiões que temos  muita vontade de ir. Bem, já podemos excluir Salvador da listinha, afinal estamos aqui desde ontem!

Nós ainda não conhecíamos e cá estamos. Vim para cumprir dois compromissos profissionais, mas teremos muito tempo livre para passeios, eba!

Salvador, terra de todos os santos. Cidade boa, com clima quente do jeito que gosto e calor humano. Aqui as pessoas se cumprimentam com dois beijos no rosto - assim como em várias outras cidades que já fomos e diferentemente de São Paulo - dizem "Pronto!" no lugar de "Beleza!" e tem uma energia muito boa, não são tão estressadas como os paulistanos e são beeem mais simpáticas e de bem com a vida. Primeiro ponto.

Não imaginava ter tantos leitores e fãs aqui, fiquei surpresa com as várias abordagens e demonstrações de carinho por mim. Fomos recebidos no aeroporto por Thaís e Igor, alunos da faculdade de um dos compromissos, o qual contarei daqui a pouco. Thaís me presenteou com várias fitinhas do Bonfim, uma de cada cor e com um nó em uma das pontas, tornando-se então um enfeite fofo. Já estou pensando onde colocarei, ainda não decidi em qual das tocas deixarei, mas quero que esteja visível. Uma ideia é de transformar em um quadrinho do mesmo estilo que já tenho onde fica um olho grego: com fundo e moldura brancos, e um vidro na frente.

Deixamos as malas no hotel e, famintos fomos almoçar. Devoramos uma moqueca de badejo maravilhosa e por um preço muito bom: R$ 40 ( incluindo pirão, arroz e farofa ), serve muito bem duas pessoas, comemos muito e ainda sobrou. Peixe fresco e tudo no ponto certo. Onde em São Paulo é possível que duas pessoas possam comer uma moqueca tão boa por um preço tão baixo? Quando vi no cardápio, pensei que custasse R$ 40 por pessoa...Segundo ponto: aqui come-se muiiito bem e por um ótimo custo-benefício.

Já comecei a fazer algumas anotações e quando chegar em Sampa, farei um post para a seção Comes e Bebes com indicações de restaurantes que conhecemos aqui em Salvador! ;)

Estamos muito bem localizados e ainda de frente para o mar. Vimos o pôr-do-sol sentados na areia.

Enfim, à noite, às 20hs e pouco, fomos até a UCSAL ( Universidade Católica de Salvador ). Um grupo que está na reta final do curso de Publicidade, com 14 alunos no total ( incluindo Thaís e Igor ) me contratou para o evento de hoje: a entrega do livro de planejamento do TCC ao professor.

E o que eu tenho a ver com isto?

Charles, o professor deles, sempre me citou durante as aulas e deixou claro ser meu fã, então os alunos do grupo G5 resolveram me contratar para fazer uma surpresa durante a entrega do livro.
Neste momento, aliás, estava coberta com uma capa porque ninguém ( além do grupo contratante ) poderia saber que era eu e quando estava bem na frente de Charles com o livro do planejamento em mãos, arrancaram a capa e ao me ver, ele ficou sem palavras e me abraçou. Foi um momento emocionante para mim também. As palavras de agradecimento dele foram muito bacanas de ouvir, pois me fizeram muito bem.

Fiquei um tempão tirando foto com o pessoal, acabei sendo uma atração na faculdade, foi muito bacana e me senti lisonjeada por ter participado deste momento tão importante aos alunos.

Agradeço a todos que falaram comigo no meu primeiro dia em Salvador, em especial ao Charles e à turma do grupo G5! ;)

Me despeço deste post, pois vou curtir a cidade. À noite, volto para contar o que eu e o João fizemos durante nosso segundo dia...

Bom dia!