terça-feira, 29 de novembro de 2011

Lista de presentes. Lista do que falta realizar para encerrar o ciclo. Wishlist 2012. Presentes para os amigos secretos e as outras pessoas queridas. Presentes para mim, afinal também sou filha de Deus. Relação do balanço anual e do que quero que aconteça em 2012. Meus desejos dos últimos anos, apenas foram se acumulando, mas há pouco tempo, isto começou a mudar ao tomar a decisão de cuidar de mim. E então minha wishlist 2012 será gigante, mas começarei o ano focada em quem por tanto tempo deixei de lado. Sonhos, sonhos e mais sonhos. E o que seria de nós sem eles?

Desde que voltei, estou reorganizando tudo. Excluindo o que não me dava mais prazer e substituindo com projetos novos, descobertas e novos prazeres. Eu sou livre! E daí?

Mas para terminar este ano com a sensação de missão cumprida, ainda falta realizar algumas coisas. O tempo é curto, eu sei, mas tô com a confiança necessária de quem está querendo recomeçar mesmo quando isto não era preciso...  

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Fotos & Fatos

Como estou gostando de publicar fotos aqui, então tive a ideia de criar esta nova seção. Espero que goste! Prometo que com o tempo, a qualidade das fotos ficará melhor!!
Pra começar esta seção, tirei algumas fotos enquanto organizava uma das caixas onde guardo lembranças que jamais me desapegarei por mais antigas recordações que se tornem. Afinal, recordar é viver, não é?
Até a caixa que aparece no fundo das fotos é uma lembrança, pois foi a embalagem do presente que o Giu e a agora ex me deram em meu aniversário de 2007!!

Guardo todas as cartinhas e cartões que ganho, tanto que tenho uma caixa exclusiva e já cheia com as que recebi, mas guardei algumas nesta outra caixa. Nestas que aparecerem na imagem, há tanto mensagens de amigas como de fãs. Mesmo com a facilidade de e-mails, é tão bom ganhar cartas e cartões escritos manualmente!  

 

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

20.11.2011: um dia especial!!

Acordamos às 10hs, tomamos café-da-manhã em casa mesmo, nos arrumamos e fomos buscar os meus sogros, pois tínhamos combinado com eles de passearmos.
Já há um bom tempo queria ir matar saudade da minha terrinha, então nosso destino foi Sorocaba! o/

Nossos planos eram: ir à Araçoiaba da Serra ( cidade onde passei parte da minha infância ) + almoçar no Apiário Morada do Sol + passar na frente da chácara onde morei com meus pais + passear de carro pela cidade + ir à Sorocaba para passear um pouco também de carro + ir à padaria Real pra comer coxinha ( a melhor do Mundo!! ) e fazer comprinhas de gostosuras + voltar para Sampa.

Tais planos foram realizados com sucesso, na mesma ordem como planejado.

Meus sogros adoraram o passeio e nós também! Foi uma tarde muito gostosa e extremamente especial para mim. Ter voltado à Araçoiaba e visto o lugar onde morei, foi bastante emocionante. Com o carro parado na frente da chácara, um filminho passou em minha mente, como se eu pudesse ver ali aquela menina-moleca cheia de sonhos, correndo pela grama, jogando peteca com o pai, brincando com os cachorros ( Fedra, Luna e Paco! ). Como não havia movimento, concluímos que não havia ninguém por lá, aproveitei para tirar várias fotos para guardá-las. Apenas não as divulgarei porque estarei expondo a moradia de pessoas que nada tem a ver com a minha exposição, mas elas estão aqui prontas para serem reveladas.

Araçoiaba não evoluiu, continua a mesma cidade pacata e simples, como ainda era em 1995 -  ano que mudamos para São Paulo. A rua onde morei continua sendo de terra, como as outras da região.
O comércio da cidade mudou bastante, mercadinhos mudaram de nome, pamonharia fechou, novas lojas abriram, há o Boticário que não existia, o lago continua lindo, o ar continua puro e o castelinho na entrada da cidade, continua com jeito de ser mal assombrado.

Sorocaba evoluiu e muito. Cresceu absurdamente! Não há comparação com a época que morei em Araçoiaba. Como estudei em Sorocaba ( no Objetivo Portal da Colina ) de 1992 à 1995, então obrigatoriamente ia à cidade diariamente, a conhecendo muito bem. Naquela época, me lembro bem, apesar de ser criança, não havia opções para passear e comer. Agora há de tudo um pouco.
Tenho orgulho de ser de lá, de ter minha raiz nesta cidade. Pena que não pude vê-la crescer, mas fico feliz por isto ter acontecido.

Almoçamos no Morada do Sol ( http://www.apiariomoradadosol.com.br/ ), um lugar muito gostoso não apenas para comer e fazer boas compras de quitutes, mas porque o ambiente é extremamente bacana, com muito verde e alguns bichos que não vemos no dia-a-dia na cidade grande. Os donos que estavam presentes, nos receberam muito bem. Tirei foto com eles e com alguns clientes que me reconheceram. O self-service é completo, com comida caseira muito boa. Comemos como se não houvesse o amanhã e tranquilamente.
Compramos mel ( de eucalipto e flor de laranjeira ), pães de mel, pão caseiro, bolachinhas, temperos, etc. O preço é muito justo e o lugar incrível! Vale muito a pena a viagem até lá!!

Como comemos muito, então após o almoço, ficamos andando na área externa, o terreno é muito grande. Fizemos a compra na lojinha de lá, nos despedimos dos donos e seguimos o passeio. Passamos de carro pela cidade toda, como é bem pequena, então foi um passeio rápido. Por fim, fomos até a frente da chácara e depois seguimos à Sorocaba.

Depois de passearmos de carro por Sorocaba, fomos na padaria Real. Não estávamos com fome, mas comemos por gula. Devorei uma coxinha, que continua incrível. Tomamos sorvete para espantar o calor, fizemos nossa comprinha e depois seguimos viagem à São Paulo...

Chegamos em Sampa às 19h30... Foi uma dia lindo!!

Tirei várias fotos, mas colocarei apenas algumas aqui...


No Apiário Morada do Sol - Um lugar de paz!


Foto que tirei de dentro do carro. Um pedacinho da minha Araçoiaba da Serra.

O lago de Araçoiaba. Lindo!!
Estava aqui na minha primeira toquinha, sentada no sofá, ouvindo música e fazendo algumas anotações, quando ouvi alguns tiros. Corri para o terraço e vi uma movimentação estranha em frente à uma agência bancária que fica há dois quarteirões, em uma travessa da minha rua.
Vi um homem na calçada na frente ao banco, ainda atirando, e em seguida saiu correndo à avenida próxima. Não demorou para uma viatura da polícia chegar...

Os policiais foram muito rápidos, em questão de minutos, outras viaturas surgiram. Está tendo perseguição até agora, com dois helicópteros passando muito próximos do prédio onde moro. A situação está bem tensa.

Liguei a tv e coloquei na Record para ver o noticiário, daí descobri que um dos helicópteros é de lá, pois estava mostrando ao vivo a perseguição. Então ao mesmo tempo que assistia na tv a captura de um deles sobre o telhado de uma casa, assistia ao mesmo tempo pelo terraço, já que esta casa é bem próxima daqui.

video


Do meio de toda a confusão, gravei apenas a presença do helicóptero bem próximo...

Preciso sair de casa, mas e o medo agora?

Posso voltar para a Fazenda?

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

E-mail

Recebo muitos e-mails com desabafos curtos ou gigantes. Gosto de ler com carinho e atenção cada um, e como resposta, opinar com o meu ponto de vista. Nem sempre posso estar certa, mas já que me dão liberdade para dar uma opinião, nunca deixo de responder, embora possa demorar bastante para fazer isto. É comum me pegar emocionada ao ler algum e-mail, pois na maioria das vezes, são desabafos profundos e envolventes. Acho o máximo que as pessoas confiam em mim e no meio dos desabafos, é comum revelarem segredos pessoais. Frequentemente me deparo com a frase: "Nunca contei isso pra ninguém", o que torna minha responsabilidade ainda maior.

Não é de hoje que noto o fato dos meus leitores se sentirem à vontade comigo, talvez pela minha exposição, acabo me tornando uma amiga, mesmo que apenas virtual. Na maioria das vezes, ao terminar de ler um e-mail, tenho vontade de poder dar um abraço bem forte na pessoa. Eu gosto de abraçar e sei que este simples gesto, nos calma. Um abraço, muitas vezes vale mais do que mil palavras de conforto.

Depois de alguns meses sem me conectar no e-mail que divulgo no canto da criatura, ontem decidi começar a colocá-lo em ordem, comecei então a me dedicar na leitura deles. Foi quando me deparei com um depoimento um tanto quanto inesperado, podemos dizer assim.
O meu público é feminino, recebo muito mais e-mail de mulheres, pois dificilmente algum homem desabafa e me pede ajuda. Faz sentido, afinal os homens são orgulhoso por natureza, dificilmente dão o braço a torcer ainda mais para uma mulher.

Ao terminar de ler um desabafo, até mesmo antes de começar a responder, penso sobre os assuntos comentados, os fatos e a situação em si. Por quê a pessoa desabafou? Como uma futura pscicóloga, tento encontrar a raiz do problema.

Ontem então li um desabafo masculino. O leitor, no início do e-mail faz questão de deixar claro que odeia escrever, no entanto escreveu bastante. Demorei quase 1 hora para ler tudo, levando-se em conta que li duas vezes por ter me chamado tanto a atenção, fazendo então questão de ler com calma cada detalhe. Não sei se ele se arrependeu por ter me mandado, como citou no final ao comentar: "Sei q depois de clicar no enviar vou me arrepender mas precisava por algum motivo desabafar com vc."

E como em um momento final, ele escreveu: "Pode falar sobre esse email no seu blog pessoal mas não coloque nada q possa me identificar diretamente", resolvi então colocar algumas partes, respeitando e omitindo alguns detalhes mais pessoais do desabafo:

" (...) Não queira entender o q eu tambem não entendo, não quero opinião nenhuma apenas q leia tudo. (...) Por sua causa a minha vida virou um inferno, nós vivemos a sua vida, é incontrolável.Da parte dela é pior, vc está em favoritos e acompanha tudo para te chamar de ridícula e outros nomes, eu entro na onda dela. Acho q na verdade o sentimento dela é o mesmo que o meu, nunca vamos assumir que no fundo te admiramos e não odiamos como demonstramos um ao outro. (...) Estamos juntos ha bastante tempo e demorou para cair a ficha q somos carmas pq desde q a gente se conheceu, nossas vidas estacionaram e os problemas multiplicaram. (...) Nossas brigas sempre foram frequentes e mais de uma vez sai de casa mas mesmo sabendo q nao existe amor, nao conseguimos ficar muito tempo longe um do outro. Quando vou embora de casa, volto iludido com as promessas furadas, papinho de q vai mudar, de q tudo será diferente.Todos os meus planos e os nossos foram por água abaixo, nunca conseguimos fazer nada dar certo. Apenas um mas quando estava começando a dar certo, ela fez o favor de estragar com o jeito dela. (...) Ela só sabe reclamar, é a única coisa q sabe fazer direito, reclama q não temos dinheiro e não se esforça para mudar e trabalhar q é bom passa longe, faz bicos de vez em nunca para fingir q tá ajudando e te chama de vagabunda. Para piorar,me faliu e me deve uma grana preta, por isso ainda estamos juntos e assim será até ela me devolver cada centavo e se eu for embora de vez sei q nunca verei a cor disso.Me acusa de todos os problemas,é incapaz de reconhecer um único erro.Já trai algumas vezes mas desconfio q ela também me traiu. (...) Acabamos de ter uma briga feia e como hj nao tenho para onde ir resolvi escrever. Nós estamos se matando e vc agora está na Fazenda buscando pelo q é seu, vc acredita se te contar q torço por vc? Te asssistindo tive mais certeza das minhas conclusões. (...) Não sei se torço pq gosto de ti ou se pq imagino q com os 2 milhoes,vc vá sumir da mídia, deletar o blog e twitter e assim finalmente ela poderá cuidar da própria vida. Será que só assim serei feliz com ela? (...) Eu sou um dos q acredita no amor do J.P por vc. (...)"
  

Enfim, um desabafo digno para ser respondido na sessão do divã com a criatura. Respondi ao leitor, após ter ficado dividida entre a razão e o coração. Segui as vozes do segundo e assim a minha resposta foi longa, apesar dele não ter pedido minha opinião.

O e-mail dele apenas me mostrou o que eu sempre soube: ninguém perde tempo com aquilo que diz não gostar.  Simples assim.
Se eu tivesse ganhado o prêmio ou se sumisse de fato da mídia e virtualmente, não acho que seria a solução para eles encontrarem a felicidade deles. Uma terceira pessoa, que sequer os conhecem, não pode ser culpada pelos problemas cônjuges existentes.

No fim da minha resposta à ele, escrevi isto: A vida é muito curta para perdemos tempo cuidando da vida dos outros, enganando quem nos ama e principalmente nos enganando. Não sumirei da mídia nem dos meus cantos virtuais, me desculpe, mas vocês ainda ouvirão muito falar de mim se continuarem me acompanhando. Acho que é mais fácil vocês fingirem que eu não existo, que eu sou um nada e cuidarem de vocês. Desejo que sejam felizes, que cuidem do relacionamento e que ao deixarem de cuidar da minha vida, tenham mais tempo para cuidar da de vocês. Nem os meus fãs cuidam da minha vida, simplesmente me acompanham e torcem por mim, afinal ninguém perde tempo com aquilo que diz não gostar. Um abraço!

E é com este trecho final da minha resposta que encerro este post.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Livros e mais livros!



Uma das vantagens de ter livros publicados em uma boa editora é que quando vamos nela, nos deparamos com várias opções bacanas e ainda ganhamos um belo desconto!!
Então, na sexta passada, selecionei os quais queria e os recebi hoje, oba!
Isso me faz lembrar que preciso ur-gen-te-men-te retornar com o meu hábito de leitura para atualizar o The book is on the bedside  ... Aliás, que vergonha!! Acabei de ver que está mais do que desatualizado há quase um ano!! ¬¬

O difícil será decidir qual será o meu próximo alvo. Levei para a Fazenda o ´O Mundo de Sofia´, mas acabei devorando o ´O aprendiz do desejo´ que o Thiago levou, então precisaria terminar o romance filosófico de Sofia, mas tô querendo ler outros tantos... A lista de livros que preciso e quero ler está gigante!!

Enquanto decido qual lerei ( ou se terminarei o de Sofia ) vou listar estes que comprei da Panda Books:

1.  De olho em Springfield - Johan L. Lagger

Comprei porque adoro os Simpsons!! É um dos poucos desenhos que tenho paciência para assistir e, ao folhear este livro, vi que há várias curiosidades.


2. Nunca antes na história deste País: As frases mais engraçadas e polêmicas do presidente Lula - Marcelo Tas

Não adoro política nem o Lula, mas adoro o Marcelo Tas, que marcou minha infância com o professor Tiburcio. E em 2006, tive a honra de ser entrevistada por ele no extinto programa Saca-Rolha.


3. Os endereços curiosos de Buenos Aires - Ana Paula Corradini

Já tinha o livro dos endereços curiosos de São Paulo, que foi escrito pelo Marcelo Duarte. Como eu e o João iremos para Buenos Aires em janeiro, resolvi comprar este guia para colaborar com os nossos passeios.


4. Um passarinho me contou: Relatos de uma viciada em Twitter - Rosana Hermann

Sou uma "querida leitora" da Rosana há muitos anos, desde quando descobri o blog dela. Em 2007, participamos juntas de um debate sobre literatura no evento ´Primavera dos Livros´.
Ela é uma das mulheres mais inteligentes que conheci. Além de adorá-la, adoro o Twitter, então este livro deve ser bem bacana!


5. Como se tornar o pior aluno da escola: Manual completo, ilustrado, revisado e não recomendado para estudantes - Danilo Gentili
6. Politicamente Incorreto: Ria deles antes que eles riam de você! - Danilo Gentili

Comprei estes dois livros do Gentili não apenas para pegar autógrafos dele ao encontrá-lo, mas porque não gosto apenas dos livros que me fazem chorar e/ou refletir, mas que me fazem rir também.

7. O livro do brigadeiro - Juliana Motter

Hmmmm... Como uma boa chocólatra, amo brigadeiro! Vou devorar este livro enquanto me acabo com o meu brigadeiro de nutella!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Sexta, finde & feriado na toca

Na sexta-feira, eu e o João fomos a uma reunião com o meu editor. Saímos da editora às 11h30, viemos para casa, arrumamos a mala e enquanto o esperava preparar nosso almoço, respondi alguns e-mails e tuitei um pouquinho até ele me chamar para comermos. Almoçamos, tomamos um belo café espresso em casa mesmo e saímos com destino à praia. A Tati foi com a gente porque como ficamos na casa dos pais dele, então sem problema dela nos acompanhar.

Pegamos bastante trânsito na estrada, a viagem que normalmente dura em média uma hora, acabou durando quase 3 horas. Chegamos quando eram quase 17hs e meus sogros já estavam nos esperando. Fizemos um lanche com direito ao chocotone que levamos lotado de chocolate no recheio, nhá. E depois ficamos por lá, papeando no terraço, sentados nas redes. A noite estava gostosa apesar do tempo estar nublado.

Não fomos para passar todos os dias do feriado prolongado porque tínhamos que voltar para cuidarmos de alguns detalhes, então sem intenção de tomar sol à beira do mar, nem me importei do sábado estar com clima feio, nublado com algumas garoas e ameaça de chuva.
Passamos a tarde num churrasco e quando voltamos para a casa às 18hs e pouco, poderíamos ter hibernado facilmente, mas nosso sono durou apenas 2 horinhas. Achei que nem teria mais fome depois de ter comido tanta maionese e outros petiscos, mas às 21hs quando o meu cunhado chegou com a namorada e uma prima da minha sogra foi com a filha, acabei jantando também. Ficamos conversando e quando eles foram embora, continuamos um pouco no terraço e nos preparamos para dormir novamente, o que aconteceu cedo, diga-se de passagem, pois quando era quase 1h, já estávamos deitados.

No domingo acordamos às 7h30, esperamos meus sogros chegarem da missa, daí meu cunhado foi com a namorada e todos tomamos café-da-manhã juntos. Tínhamos planejado voltar para Sampa logo após o café, mas o tempo estava muito feio, então resolvemos esperar um pouco a chuva passar. Fora o fato da serra ( nossa visão do terraço ) estar coberta por neblina, ou seja, não a enxergávamos, então esperamos dar uma melhorada, o que aconteceu somente quando eram quase 13hs.

No sábado, o marido da Ana ligou para o João pra saber se estávamos em Sampa e se queríamos almoçar com eles, daí quando soube que voltaríamos da praia no domingo, eles combinaram.

Não pegamos nem um pouco de trânsito, a viagem foi super tranquila e chegamos em casa às 14hs e pouco. Ele ligou para o Ronaldo para saber se o almoço ainda estava em pé e como estava, trocamos de roupa e tocamos a campainha do apartamento deles, então descemos juntos pra garagem. Eles sugeriram para irmos a um restaurante chamado ´São Paulo Antigo´ que fica em Santana do Parnaíba, uma cidade próxima, então lá fomos nós!!

Chegamos no restaurante quando eram quase 16hs, esperamos uma mesa ficar disponível enquanto o dono gentilmente nos ofereceu uma dose de cachaça artesanal enquanto aguardávamos. Ficamos conversando no andar térreo e vendo os vários objetos antigos que decoram o ambiente e como adoro coisas do tempo da vovó, pirei!

Não demorou para sermos chamados para sentarmos. Este restaurante é delicioso, comida mineira feita em fogão à lenha e self-service. Come-se muito bem por um preço fixo justo: R$ 36 por pessoa. Super indico! E neste valor já está incluso as sobremasas que são incríveis, com direito à doce de leite, doce de abóbora, entre outras delícias mineiras.
Fora os doces, as opções de comida são bastante variadas, eles comeram até leitão a pururuca, o que não foi o meu caso, mas enfim... Comi dois pratos achando que ainda sou peoa, rs, com arroz, tutu de feijão, farofa, salada e banana frita. O segundo prato foi por gula e o com doces então, melhor nem comentar.

Durante a comilança, ficamos papeando, dentre outros assuntos, o Ronaldo nos contou detalhadamente como que foi a semana que passou no Japão.

Saindo de lá, fomos caminhar um pouco para colaborar na digestão, andamos na praça e infelizmente quando nos deparamos com uma feira de artesanatos, esta já estava sendo desfeita, pois os comerciantes já estavam guardando as mercadorias.

Enfim, voltamos e eu apaguei no caminho, o João me acordou quando estávamos entrando na garagem do prédio. Fomos para o apartamento da Ana e o marido pra tomarmos café porque eles têm a mesma máquina que nós, apenas o modelo que muda.

O Ronaldo nos deu os Kit Kats, mas como dentro do meu querido estômago não cabia nada mais além de um espresso, não consegui devorar nenhuma barrinha para acompanhar...
Bem, tomamos o café, assistimos o final do jogo que estava passando na Globo e quando acabou, subimos para casa. Moramos dois andares acima deles.

Só não dormi porque estava empolgada com meu brinquedinho novo, fiquei baixando aplicativos enquanto o João assistia televisão. Baixei os mesmos que já usava no antigo e mais alguns outros que resolvi conhecer, inclusive o do Twitter que no outro não quis ter. Quando o sono bateu pra valer, já eram quase 22hs, então esperamos mais um pouco para dormirmos direto sem direito a cochilos.

Na segunda, acordamos às 9h30 e, após o café-da-manhã, seguimos para comprar os últimos detalhes que faltavam para o nosso doce lar. Voltei em clima de renovação total, então nas últimas semanas, além da faxina nas coisas de casa, com desapego em tudo, ok, em quase tudo, quis renovar inclusive a decoração. Faltavam alguns poucos detalhes para minha primeira toquinha ficar do jeito que queríamos, então fomos comprar toalhas e roupas de cama. Compramos um edredom delicioso que nem dá vontade de sair da cama, sabe. É tão macio que dá vontade de abraçá-lo e esquecer das responsabilidades da vida.

Em quase 3 semanas cuidando de tudo pra deixar a toca em ordem, termino o feriado satisfeita com o resultado e pronta para focar no próximo passo. Já a renovação da segunda toca ficará para dezembro ou no mais tardar, em janeiro.

Almoçamos em um restaurante perto de casa e depois nos entocamos, ficamos nos curtindo e curtindo nosso cantinho pronto.

E ontem, um feriadão chuvoso e os dois com preguicite aguda, ficamos confinados entocados a maior parte do dia, saímos apenas no meio da tarde para alugar um filme e garimpar dvds baratos na Blockbuster. À noite, o João sugeriu de jantarmos num restaurante japonês, mas o fiz mudar de ideia e prometi que iremos nos próximos dias, acabamos pedindo pizza em casa na hora do jantar.

Eu estava precisando destes dois dias para descansar, curtir minha primeira toca e o marido...

Enfim, tô pronta para o próximo passo! ;)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Kit Kat & Cat

Kit Kat não é o melhor chocolate do mundo, mas é um dos melhores. A Nestlé relançou no Brasil após anos fora do mercado, mas a versão brasileira, embora seja boa, não é tão boa quanto a gringa. O sabor e a textura são diferentes, pequenos detalhes que talvez até passem de maneira despercebida pela maioria, mas não por uma pessoa chocólatra como eu.

No domingo, ganhamos um pacote com mini barrinhas e duas barras da versão de chocolate branco e duas de ao leite com caramelo, que o marido de uma amiga comprou no Duty Free.

E foi com estas delicinhas que resolvi testar  a câmera do meu brinquedinho novo... Tudo bem que a fotógrafa, no caso eu, não ajuda, mas enfim...



Daí fui tirar outra foto quando a minha bolinha felina de pêlos brancos chamada Duda resolveu xeretar o que eu estava fazendo e deu o ar da graça no fundo...




Então resolvi tirar uma foto dela também...




Não é uma fofa?

Bem, câmera aprovada. Fotógrafa, não. E Kit Kat mais do que provado e aprovado.

É um daqueles chocolates que não é coisa de Deus e a gente devora rezando, pedindo perdão pelo pecado da gula, sabe. Mas, eu devoro cada pedacinho sem culpa, afinal se todo pecado fosse isso apenas...

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Pausa básica nos compromissos para um pequeno sinal de vida. Hoje o dia começou cedo, às 6hs e estou lutando contra o sono até agora porque dormi quando eram quase 3 hs, ou seja, descansei bem pouco. Já estou tomando minha terceira xícara de expresso, morrendo de fome e sem esperança que conseguirei almoçar direito.

Tenho tantas coisas para fazer! Logo mais, o Clóvis virá para cá. À noite, eu e o João receberemos visitas para um jantar em casa e como ele resolveu fazer tudo, então chegará cedo e eu preciso estar lá para ajudá-lo.

Tenho poucos dias para colocar tudo em ordem, antes de iniciar a próxima maratona de viagens para me apresentar como DJ e será a última porque vou me tornar residente de uma balada em Sampa até quando a cegonha resolver me visitar! Sim, já estamos planejando definitivamente um baby e desta vez será pra valer porque como  eu disse, "a Raquel vai controlar a Bruna" - e já está controlando. E tal controle já está nítido com o meu sumiço por aí.

Eu já estava bem cansada e tomei decisões importantes enquanto estava confinada e isolada deste mundo real. Chegou o momento de cuidar de mim de verdade e pra valer - e é o que já estou fazendo! Liberdade é o que há!! E tê-la não tem preço!

Ah, se o e-mail com a previsão de entrega que recebi da Saraiva estiver correto, hoje receberei o meu mais novo brinquedinho tecnológico que facilitará muito minhas postagens por aqui com direito a fotos. Nada como uma câmera embutida para facilitar as coisas! :)

Até.
 

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Ontem passei o dia todo com o Clóvis, estamos trabalhando muiiiito, graças à Deus! Mas, ainda temos muito trabalho pela frente. Trabalhar com ele é divertido e o tempo voa, entre um compromisso e outro, ficamos tricotando e dando boas risadas. Com o João, a Pati e o Warley, somos o quinteto fantástico!! :)
Estamos colocando tudo em ordem, já que alguns pontos estavam dependendo da minha presença para serem resolvidos.

Almoçamos juntos e depois fomos até o bairro Água Branca, uma viagem pela cidade cinzenta chamada São Paulo. Muito trânsito... Ai ai ai. Disso eu não senti falta! Fomos no showroom de uma marca para avaliar uma máquina que estamos precisando. No caminho de volta, passamos bem ao lado de um acidente horrível entre dois carros na Avenida Brasil.

Ah, ele trouxe vários biscoitinhos que fez pra mim e que eu não conhecia, são deliciosos e de origem grega. São chamados de Kourabiethes e simboliza a amizade.

No final da tarde, o João chegou e trouxe lanchinho para nós: esfihas e coalhada do Dib. Paramos o trabalho para alimentarmos as lombrigas e depois demos contiuidade até 21h30... Foi um dia cansativo, mas muito produtivo!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Meu aniversário foi na última sexta-feira e completei 27 primaveras nem todas tão floridas.

A comemoração neste ano foi em dobro, tanto pelo fato de eu ter atingido um objetivo - não o principal, mas muito importante também - com o confinamento, como também porque na semana passada, fiquei sabendo que o filme será lançado nos cinemas em Portugal. Em breve, aliás, estaremos por lá novamente, oba!! Ah, na quarta passada, concedi entrevista sobre este fato para a revista portuguesa Expresso.

E a minha sexta começou com um café-da-manhã na cama e depois um passeio de bike no parque. Mais tarde, o João me ajudou com a reorganização da minha vida e a organização das  tocas. Almoçamos, fomos ao shopping, comprei um presente pra mim, ganhei outro dele, fomos na casa da minha sogra, tomamos frozen no final da tarde porque eu estava morrendo de vontade e à noite fomos jantar em uma cantina italiana.

No sábado, rolou um churrasco-surpresa para mim. Festa surpresa é ótimo, mas sempre algumas pessoas queridas ficam de fora porque ninguém pode pedir os contatos telefônicos à aniversariante. E foi o que aconteceu com quatro pessoas que acabaram não sendo convidadas, mas que entenderam ( ou entenderão ) a situação. Mesmo assim, tanto os parentes do João como quase todos meus amigos foram convidados e estavam presentes. Começou às 13hs e passei a tarde toda papeando, comendo e bebendo. No final da tarde, o João me chamou num canto da recepção do prédio para conversar, daí ele disse algo sem sentido para o fato de ter me chamado discretamente e me levado longe das demais pessoas, mas quando voltamos ao salão de festas, todos estavam reunidos ao redor do bolo já com as velas acessas e cantaram parabéns. Fiquei emocionada. O bolo foi feito pela minha cunhada.
Enfim, a festa acabou quando eram quase 21hs. Fiquei bem feliz com a surpresa e este dia que foi muito especial!
Como ganhei vários presentes, então assim que chegamos em casa, abri novamente, desta vez com calma, um por um.

No domingo, passamos o dia todo de bode, acordamos bem tarde, já era quase meio-dia. Saímos para passear com a Tati e nos entocamos novamente, ficamos nos curtindo o dia todo. No final da tarde, fomos na minha sogra. Voltamos e nos entocamos novamente, pedimos pizza e jantamos.

Na segunda, acordamos às 8hs, depois do café-da-manhã em casa mesmo, o João foi trabalhar e eu me arrumei, saí com a Tati e fui para a segunda toca. No começo da tarde, ele me ligou e disse se eu conseguiria ficar livre às 16hs, eu respondi que sim, então ele disse que me buscaria para irmos ao cinema. Queríamos ter ido na sexta, mas estava muito cheio.
Ele me buscou e fomos no shopping Morumbi, compramos os ingressos para a sessão das 17hs. Como tínhamos um tempinho livre, tomamos café para passar este pequeno tempo. Fazia tempo que não íamos ao cinema de lá, reformaram e está bem bacana. Agora é da TAM e o bom é que quem tem cartão fidelidade desta companhia, como nós temos, paga 50% no ingresso. Adorei saber isso!! :)

Compramos pipoca e refri, quando chegamos na sala tinham apenas duas pessoas sentadas. O filme começou e chegaram mais poucas pessoas. Se todas estivessem sentadas uma ao lado da outra, não preencheria uma fileira, ou seja, foi uma boa ideia deixarmos para irmos ao cinema numa segunda.

Assistimos o filme O Palhaço com o Selton Mello, que além de ter dirigido, interpreta o Benjamim, que é o protagonista, o palhaço Pangaré. O filme é ótimo, engraçado e triste ao mesmo tempo. Uma história envolvente que faz a gente torcer para Benjamim ter um final feliz!!

Quando saímos do cinema, tivemos que continuar no shopping até pelo menos às 20hs por causa do rodízio. Então já que estávamos lá, aproveitamos para fazer algumas comprinhas. Como devorei um saco grande de pipoca, não estava com um pingo de fome, o João também não, então acabamos não jantando. Chegamos em casa quando eram quase 21h30...

Na terça, véspera de feriado, continuei com a reorganização, encaixotei muitas coisas para dar fim, ou melhor, doar. Estou em clima de renovação total!! Além da arrumação, também escrevi bastante, quase 3 horas sem parar...

E ontem, quarta-feira, fomos na casa da minha sogra, como chegamos lá bem na hora que ela estava indo à feira, então decidi que queria ir também. Há muito tempo que não ia e precisava comprar algumas frutas. A feira estava lotada, mas me diverti, até tirei foto com algumas pessoas que me reconheceram! Por fim, paramos na banquinha de pastel e comemos.
Por que pastel de feira é tão bom? Qual é o segredo? Óleo sujo e velho??

Como o João marcou um jantar em casa com um casal de amigos, então passamos no supermercado para comprarmos os ingredientes necessários, pois ele havia decidido que faria uma massa com mariscos. Voltamos para casa e ficamos assistindo televisão. Quando estava próximo do horário combinado, ele começou a preparar as coisas enquanto eu arrumava a mesa.
O Warley e a Fabi chegaram, eu estava com muita saudade deles, pois não nos vimos desde que voltei. Eles não puderam ir ao churrasco no sábado porque ele estava em cartaz com a peça dele em Curitiba. Ficamos papeando e bebendo vinho branco, jantamos e o macarrão estava delicioso, comemos tanto que todos dispensamos a sobremesa. Eles foram embora quando era meia-noite e pouco, então conseguimos colocar todo o assunto em dia.